Conhecimento Virtual

Projeto Conhecimento Virtual Profa. Hélia Cannizzaro
 
InícioCalendárioFAQBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

 Qual o Gabarito? (VIII - Saúde Pública)

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
Ir à página : 1, 2  Seguinte
AutorMensagem
Hélia Cannizzaro



Mensagens : 1065
Data de inscrição : 23/06/2013

MensagemAssunto: Qual o Gabarito? (VIII - Saúde Pública)   Sab Nov 16, 2013 4:00 pm

Qual o Gabarito? (VIII - Saúde Pública)
1. Na profilaxia do tétano pós-ferimento está indicada a seguinte conduta:
A. Limpar o ferimento com água e sabão
B. Administrar penicilina G benzatina
C. Lavar o ferimento com rifocina
D. Administrar cefalosporina

2. A administração de vacina de vírus inativo em gestante é um procedimento considerado:
A. De risco para o feto
B. Sem risco para o feto
C. De risco para a gestante
D. Sem efeito imunizante para a gestante

3. Nas áreas urbanas, o mosquito Aedes aegypti é o vetor do dengue e da:
A. Malária
B. Febre tifoide
C. Febre amarela
D. Leishmaniose tegumentar

4. Nos acidentes com material biológico ocorridos com profissionais que atuam na área de saúde, o atendimento adequado inclui que se faça, sempre que necessário, a profilaxia para:
A. Hepatite por vírus B e infecção pelo vírus HIV
B. Hepatite por vírus C e infecção pelo vírus HIV
C. Hepatite por vírus A e B
D. Hepatite por vírus C e B

5. Mulher de 25 anos, na 19a semana de gestação, é mordida por morcego na mão direita. Ao procurar o serviço de saúde, 30 dias após o ocorrido, informa não ter feito, anteriormente, tratamento para profilaxia da raiva. Neste caso, a conduta a ser estabelecida quanto a esta profilaxia é:
A. Iniciar a soro-vacinação no esquema adequado à topografia da lesão
B. Iniciar somente a soroterapia, pois a vacinação é contra-indicada na gravidez
C. Iniciar somente esquema de vacinação, pois a soroterapia é inefetiva na gravidez
D. Informar que não há mais necessidade de profilaxia, já que o período de incubação do vírus é menor que 30 dias

6. Uma doença transmissível Y, para a qual não existe terapia eficaz, leva a óbito todos os acometidos em, no máximo, 72 horas. Sendo seus coeficientes de incidência e de ataque secundário baixos, seus coeficientes de letalidade e mortalidade são, respectivamente:
A. Alto / alto
B. Baixo / baixo
C. Baixo / de 100%
D. De 100% / baixo

7. No Brasil, a lesão por esforço repetitivo (LER) tem incidência significativa. No âmbito de saúde do trabalhador, ela se enquadra como:
A. Acidente de trabalho
B. Resultado de exame admissional inadequado
C. Doença ocupacional que se manifesta de maneira insidiosa
D. Doença preexistente que se manifesta por exposição a agentes químicos

8. Um dos desenhos de estudo mais utilizado em epidemiologia para estabelecer associações úteis à clínica é o de caso-controle, que apresenta a seguinte característica:
A. Estimar o risco atribuível a partir das taxas de incidência entre expostos e não-expostos
B. Ser útil para abordar associações etiológicas com doenças de baixa incidência
C. Medir causa e efeito em um mesmo momento histórico
D. Pode ser retrospectivo ou prospectivo

9. Uma criança de 4 anos, que reside com os pais e 3 irmãos, e ainda não frequenta a escola, é admitida na emergência de um hospital. Ela apresenta um quadro de 48 horas de evolução de febre alta, cefaleia, lesões purpúricas extensas em tronco e membros inferiores, rigidez de nuca e convulsões. Há 24 horas vem fazendo uso de ampicilina por via oral. É submetida a uma punção lombar que evidencia líquor purulento, com leucócitos incontáveis e com diplococos gram-negativos à bacterioscopia. Uma conduta incorreta neste caso é:
A. A internação da criança, preferencialmente em isolamento, para tratamento com antibióticos venosos
B. A notificação imediata do caso à unidade de Vigilância Epidemiológica da área
C. O isolamento de todos os familiares para observação clínica
D. A administração de rifampicina aos familiares

10. A alternativa que contém exclusivamente doenças de notificação compulsória imediata, conforme normatizado pela Secretaria Estadual de Saúde do Rio de Janeiro é:
A. Meningites de qualquer etiologia, intoxicações por agrotóxicos e leptospirose
B. Febre amarela, doenças hiperbáricas e sarampo
C. Doença meningocócica, febre tifoide e malária
D. Raiva, dengue hemorrágico e difteria

11. Uma Secretaria Estadual de Saúde recebe, em um dado mês do ano, a comunicação de 200 novos casos de sarampo no município A, e de 400 casos da mesma doença no município B.
O exposto acima indica que:
A. Está ocorrendo um surto de sarampo no município A
B. Está ocorrendo um surto de sarampo no município B
C. Ambos os municípios estão tendo um surto de sarampo
D. É impossível concluir sobre a existência de um surto de sarampo sem conhecer a população exposta ao risco de adoecer

12. Virulência refere-se à capacidade de um bioagente produzir grande número de casos graves ou fatais e, na prática, pode ser avaliada pelos coeficientes de letalidade e de gravidade. A doença causada por um agente de alta virulência é:
A. Tétano
B. Tracoma
C. Sarampo
D. Poliomielite

13. No processo de notificação consideramos os seguintes aspectos, exceto:
A. Notificar a simples suspeita da doença
B. A notificação tem que ser sigilosa
C. Notificação mesmo na ausência de casos, denominado de notificação negativa
D. Todas as unidades de saúde (pública, privada e filantrópica) fazem parte da rede de notificação
E. Notificar só quando confirmado laboratorialmente

14. O coeficiente de mortalidade perinatal constitui um importante indicador para avaliar:
A. A eficácia do planejamento familiar
B. A qualidade da assistência ao pré-natal e ao parto
C. O padrão nutricional das gestantes
D. A qualidade da assistência ao parto e ao puerpério
E. A qualidade da assistência clínico-ginecológica

15. Com relação à utilização de vacinação enquanto medida de controle para cólera podemos afirmar que, exceto:
A. Não é indicada como medida preventiva até o momento com os tipos de vacinas existentes
B. Possui baixa eficácia (menor de 50%)
C. Tem curta duração da imunidade, em torno de 3 meses
D. Precisa ser administrada somente nas áreas epidêmicas
E. Não altera a severidade da doença nem reduz a taxa de infecções assintomáticas

16. O propósito da Vigilância Epidemiológica da Febre Amarela é o de mantê-la erradicada dos centros urbanos e sob controle nas áreas silvestres. Definimos, como caso controle confirmado, todo paciente residente e/ou procedente de área endêmica para febre amarela, com quadro clínico compatível, que apresente diagnóstico laboratorial confirmado através de, exceto:
A. Isolamento do vírus a partir de amostras de sangue
B. Aumento dos níveis de albumina na urina
C. Conversão sorológica: aumento de pelo menos 4 vezes no título de anticorpos entre o soro coletado na fase aguda e na fase de convalescência
D. Achado de IgM específica em uma amostra sanguínea
E. Isolamento do vírus a partir de amostras de tecido hepático

17. Em relação à Hanseníase podemos afirmar:
A. As provas cutâneas, como a reação de Mitsuda, têm grande valor diagnóstico
B. O período de incubação é em média de 6 meses
C. Está comprovada a existência de imunidade racial em alguns grupos étnicos isolados
D. O homem é o único reservatório de importância demonstrada
E. M. leprae se desenvolve em alguns meios de cultura

18. O vírus da poliomielite apresenta:
A. Baixa infectividade, alta patogenicidade e baixa virulência
B. Altas infectividades e patogenicidade e baixa virulência
C. Alta infectividade e baixas patogenicidade e virulência
D. Alta infectividade e alta virulência

19. É uma medida preventiva contra a criptococose:
A. Notificação imediata dos casos às autoridades sanitárias
B. Detecção e isolamento dos casos
C. Tratamento específico com tetraciclinas
D. Educação do público para limitar a exposição às excreções de pombos
E. Imunização dos contatos e dos suscetíveis

20. No ambiente hospitalar, os riscos de radiações ionizantes ocorrem principalmente nos setores:
A. Centro cirúrgico e unidades de terapia intensiva
B. Radioterapia e radiodiagnóstico
C. Radiodiagnóstico e unidades de terapia intensiva
D. Radioterapia e centro cirúrgico



Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
keila_lo



Mensagens : 16
Data de inscrição : 30/10/2013

MensagemAssunto: Re: Qual o Gabarito? (VIII - Saúde Pública)   Sab Nov 16, 2013 5:17 pm

4- A

Deve-se colher sorologias no acidentado e na fonte (paciente) para diagnosticar possíveis infecções pelos virus da hepatite B, C e HIV. Em relação ao HIV:

Se o paciente-fonte comprovadamente HIV negativo: envolve a existência de documentação laboratorial disponível recente para o HIV (até 03 meses antes da data do acidente) ou no momento do acidente; não está indicada a quimioprofilaxia anti-retroviral.

Se o paciente-fonte comprovadamente HIV positivo: um paciente-fonte é considerado infectado pelo HIV quando há documentação de exames anti-HIV positivos ou o diagnóstico clínico de AIDS; conforme a gravidade do acidente, deve-se iniciar a quimioprofilaxia anti-retroviral.

Se o paciente-fonte com situação sorológica desconhecida ou paciente- fonte desconhecido: um paciente-fonte com situação sorológica desconhecida deve, sempre que possível, ser rapidamente testado para o vírus HIV, após obtido o seu consentimento; deve- se colher também sorologias para HBV e HCV. Na impossibilidade de se colher as sorologias do paciente-fonte ou de não se conhecer o mesmo (Ex: acidente com agulha encontrada no lixo), recomenda-se a avaliação do risco de infecção pelo HIV, levando-se em conta o tipo de exposição e dados clínicos e epidemiológicos.

Não existe quimioprofilaxia para hepatite C, recomenda-se acompanhar a sorologia do profissional acidentado por 06 meses (1a coleta da sorologia no momento do acidente e 2a coleta da sorologia 06 meses após o acidente). Se a sorologia do profissional de saúde para HCV for positiva, o mesmo deve ser encaminhado para acompanhamento ambulatorial especializado.

Caso o paciente fonte tenha sorologias negativas para HIV, VHB e VHC, o funcionário acidentado deverá receber alta após o resultado dos exames, não sendo necessário repeti-los apôs 6 meses, nem dar continuidade ao tratamento profilático.

ftp://ftp.cve.saude.sp.gov.br/doc_tec/aids/aids_conduta.pdf
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Hélia Cannizzaro



Mensagens : 1065
Data de inscrição : 23/06/2013

MensagemAssunto: Re: Qual o Gabarito? (VIII - Saúde Pública)   Sab Nov 16, 2013 6:48 pm

Keila
Exato

keila_lo escreveu:
4- A

Deve-se colher sorologias no acidentado e na fonte (paciente) para diagnosticar possíveis infecções pelos virus da hepatite B, C e HIV. Em relação ao HIV:

Se o paciente-fonte comprovadamente HIV negativo: envolve a existência de documentação laboratorial disponível recente para o HIV (até 03 meses antes da data do acidente) ou no momento do acidente; não está indicada a quimioprofilaxia anti-retroviral.

Se o paciente-fonte comprovadamente HIV positivo: um paciente-fonte é considerado infectado pelo HIV quando há documentação de exames anti-HIV positivos ou o diagnóstico clínico de AIDS; conforme a gravidade do acidente, deve-se iniciar a quimioprofilaxia anti-retroviral.

Se o paciente-fonte com situação sorológica desconhecida ou paciente- fonte desconhecido: um paciente-fonte com situação sorológica desconhecida deve, sempre que possível, ser rapidamente testado para o vírus HIV, após obtido o seu consentimento; deve- se colher também sorologias para HBV e HCV. Na impossibilidade de se colher as sorologias do paciente-fonte ou de não se conhecer o mesmo (Ex: acidente com agulha encontrada no lixo), recomenda-se a avaliação do risco de infecção pelo HIV, levando-se em conta o tipo de exposição e dados clínicos e epidemiológicos.

Não existe quimioprofilaxia para hepatite C, recomenda-se acompanhar a sorologia do profissional acidentado por 06 meses (1a coleta da sorologia no momento do acidente e 2a coleta da sorologia 06 meses após o acidente). Se a sorologia do profissional de saúde para HCV for positiva, o mesmo deve ser encaminhado para acompanhamento ambulatorial especializado.

Caso o paciente fonte tenha sorologias negativas para HIV, VHB e VHC, o funcionário acidentado deverá receber alta após o resultado dos exames, não sendo necessário repeti-los apôs 6 meses, nem dar continuidade ao tratamento profilático.

ftp://ftp.cve.saude.sp.gov.br/doc_tec/aids/aids_conduta.pdf
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
mariana.chevrollier



Mensagens : 7
Data de inscrição : 25/10/2013

MensagemAssunto: Re: Qual o Gabarito? (VIII - Saúde Pública)   Dom Nov 17, 2013 6:42 pm

Questão 1 - letra A

O tétano é causado pela Clostridium tetani, uma bactéria gram-positiva e anaeróbica, que se localizam em fezes animais, terra, plantas ou objetos na forma de esporos. Ao entrar em contato com uma lesão cutânea, o tétano tem acesso ao interior do organismo, onde ele libera a toxina tetânica, que provoca espasmos musculares principalmente na região cervical.
Dentre os sintomas, estão a dificuldade para abrir a boca e deglutir, além de que essa toxina, que ataca sobretudo o sistema nervoso central, pode produzir efeitos na musculatura respiratória e consequente morte por asfixia.
Após um ferimento, a profilaxia inclui a administração de imunização passiva (soro antitetânico ou imunoglobulina antitetânica)  para pacientes que possuam duas doses ou menos da vacina antitetânica ou que possuam 3, sendo a última realizada há mais de 10 anos. Além disso, é necessário se realizar a limpeza do local com água e sabão.

Referências:
ftp://ftp.cve.saude.sp.gov.br/doc_tec/imuni/imuni08_prof_tetano.pdf
http://www.vacinas.org.br/novo/vacinas_contra_bact_rias_e_toxinas/t_tano.htm
http://www.bio.fiocruz.br/index.php/tetano-sintomas-transmissao-e-prevencao
http://medmap.uff.br/mapas/uso_profilatico_antibioticos/ApenicilinaGbenzatinanodeveserempregadan.html
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Hélia Cannizzaro



Mensagens : 1065
Data de inscrição : 23/06/2013

MensagemAssunto: Re: Qual o Gabarito? (VIII - Saúde Pública)   Dom Nov 17, 2013 7:11 pm

Bem vinda Mariana Chevrollier
Exato. Vê-se como é importante lavar o ferimento com água e sabão.
Principalmente, pela dor que provoca, frequentemente não é realizada.
A carência desse passo gera com frequência patologias muito mais graves, como o comprometimento do SNC no tétano.
Um abraço,
Hélia Cannizzaro

mariana.chevrollier escreveu:
Questão 1 - letra A

O tétano é causado pela Clostridium tetani, uma bactéria gram-positiva e anaeróbica, que se localizam em fezes animais, terra, plantas ou objetos na forma de esporos. Ao entrar em contato com uma lesão cutânea, o tétano tem acesso ao interior do organismo, onde ele libera a toxina tetânica, que provoca espasmos musculares principalmente na região cervical.
Dentre os sintomas, estão a dificuldade para abrir a boca e deglutir, além de que essa toxina, que ataca sobretudo o sistema nervoso central, pode produzir efeitos na musculatura respiratória e consequente morte por asfixia.
Após um ferimento, a profilaxia inclui a administração de imunização passiva (soro antitetânico ou imunoglobulina antitetânica)  para pacientes que possuam duas doses ou menos da vacina antitetânica ou que possuam 3, sendo a última realizada há mais de 10 anos. Além disso, é necessário se realizar a limpeza do local com água e sabão.

Referências:
ftp://ftp.cve.saude.sp.gov.br/doc_tec/imuni/imuni08_prof_tetano.pdf
http://www.vacinas.org.br/novo/vacinas_contra_bact_rias_e_toxinas/t_tano.htm
http://www.bio.fiocruz.br/index.php/tetano-sintomas-transmissao-e-prevencao
http://medmap.uff.br/mapas/uso_profilatico_antibioticos/ApenicilinaGbenzatinanodeveserempregadan.html
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Domingos Lins jr



Mensagens : 11
Data de inscrição : 25/10/2013

MensagemAssunto: Re: Qual o Gabarito? (VIII - Saúde Pública)   Seg Nov 18, 2013 12:41 am

3ª questão - C
comentário: o Aedes aegypti é o vetor urbano da febre amarela. No Brasil a febre amarela é considerada erradicada das áreas urbanas desde 1942
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Domingos Lins jr



Mensagens : 11
Data de inscrição : 25/10/2013

MensagemAssunto: Re: Qual o Gabarito? (VIII - Saúde Pública)   Seg Nov 18, 2013 12:49 am

4ª questão - B
cometário: questão interessante, uma vez que tanto as hepatites (b e c) quanto o HIV são transmissíveis pelo contato sanguíneo. tendo em vista o número de casos e a gravidade das doenças parece mais sensato realizar testes para HIV e hepatite C
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Domingos Lins jr



Mensagens : 11
Data de inscrição : 25/10/2013

MensagemAssunto: Re: Qual o Gabarito? (VIII - Saúde Pública)   Seg Nov 18, 2013 12:53 am

6ª questão - D
comentário: ótimo exemplo para diferenciar esses dois conceitos que, a princípio, podem confundir-se na cabeça
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
victorfcl



Mensagens : 1
Data de inscrição : 25/10/2013

MensagemAssunto: Re: Qual o Gabarito? (VIII - Saúde Pública)   Seg Nov 18, 2013 1:11 am

Questão 5 - A.

A raiva é uma encefalite viral aguda, transmitida por mamíferos. O vírus rábico pertence ao gênero Lyssavirus, da família Rhabdoviridae. O vírus possui aspecto de um projétil e seu genoma é constituído por RNA. O período de incubação é extremamente variável, desde dias até anos, com uma média de 45 dias no homem.

Não há nenhuma evidência de que a administração em gestantes de vacinas de vírus inativados (vacina contra a raiva, por exemplo) acarrete qualquer risco para o feto. O tratamento anti-rábico humano não tem contra-indicação por doença intercorrente, gravidez ou lactação devido à gravidade da doença, que apresenta letalidade de aproximadamente 100%. Portanto, a profilaxia em gestantes deve ser indicada de maneira rotineira. Nos casos de gravidez e imunodeprimidos, os pacientes devem receber preferencialmente vacinas produzidas em cultura celular ou em embrião de pato.

Referência:
http://www.vacinas.org.br/vacinas07.htm
http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/normas_tecnicas_profilaxia_raiva.pdf
http://pediatriasaopaulo.usp.br/upload/pdf/794.pdf
http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/raiva_gve.pdf
http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/manu_normas_vac.pdf
http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/procedimentos_soros.pdf
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Rebeca Cavalcante



Mensagens : 4
Data de inscrição : 29/10/2013

MensagemAssunto: Re: Qual o Gabarito? (VIII - Saúde Pública)   Seg Nov 18, 2013 10:39 pm

7. C
As Lesões por Esforços Repetitivos (LER) e Distúrbios Osteomusculares
Relacionados ao Trabalho (Dort) são por definição um fenômeno relacionado ao
trabalho (KUORINKA e FORCIER 1005). São danos decorrentes da utilização
excessiva, imposta ao sistema músculo-esquelético, e da falta de tempo para
recuperação. Caracterizam-se pela ocorrência de vários sintomas concomitantes ou
não, de aparecimento insidioso, geralmente nos membros superiores, tais como dor,
parestesia, sensação de peso e fadiga. Abrangem quadros clínicos do sistema
músculo-esquelético adquiridos pelo trabalhador submetido a determinadas
condições de trabalho. Entidades neuro-ortopédicas definidas como tenossinovites, sinovites,
compressões de nervos periféricos podem ser identificadas ou não. Freqüentemente são causas de
incapacidade laboral temporária ou permanente.
Os objetivos dos profissionais de saúde na abordagem às LER/Dort, não
devem se restringir ao acolhimento humanizado e qualificado nos serviços
assistenciais, mas também, de manter uma atitude ativa frente às possibilidades de
prevenção que cada caso pode oferecer, ou seja, a cada caso diagnosticado, buscar
a possibilidade de uma ação de vigilância e intervenção para que se evitem novos
casos.
http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/protocolo_ler_dort.pdf
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
mariana.chevrollier



Mensagens : 7
Data de inscrição : 25/10/2013

MensagemAssunto: Re: Qual o Gabarito? (VIII - Saúde Pública)   Ter Nov 19, 2013 1:16 am

Questão 17 – letra D

Analisando cada alternativa:
a) O teste de Mitsuda consiste em avaliar a reação imunológica específica para o Mycobacterium leprae, injetando o bacilo inativado sob a pele. Ele não serve como um teste diagnóstico, mas sim prognóstico. Ele é utilizado sobretudo para diferenciar o tipo de hanseníase que acomete um paciente.
b) O período de incubação varia entre 2-5 anos.
c) Existem estudos acerca, mas nada é comprovado
d) O homem é, de fato, o único reservatório de importância conhecido da infecção
e) Existem tentativas de cultura do M. leprae, mas nenhum experimento conseguiu ir além da quarta ou quinta geração

Referências:
http://www.uff.br/tudosobrelepra/exames_complementares.htm
http://www.medcenter.com/medscape/content.aspx?id=1071&langtype=1046
http://www.leprosy-ila.org/leprosyjournal/gn1/detalhe_artigo.php?id=NTI3MA%3D%3D&secao=EDITORIAL
http://hansen.bvs.ilsl.br/textoc/revistas/1937/PDF/v5n2/v5n2a01.pdf
http://bases.bireme.br/cgi-bin/wxislind.exe/iah/online/?IsisScript=iah/iah.xis&nextAction=lnk&base=LILACS&exprSearch=76953&indexSearch=ID&lang=p
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Marina Zarzar



Mensagens : 6
Data de inscrição : 24/10/2013

MensagemAssunto: Re: Qual o Gabarito? (VIII - Saúde Pública)   Qua Nov 20, 2013 12:53 am

12. Virulência refere-se à capacidade de um bioagente produzir grande número de casos graves ou fatais e, na prática, pode ser avaliada pelos coeficientes de letalidade e de gravidade. A doença causada por um agente de alta virulência é:
A. Tétano
B. Tracoma
C. Sarampo
D. Poliomielite

Resposta: A

O tétano é a doença mais virulenta, pois é aquela que, uma vez instalada, é a mais letal, pois a bactéria causadora produz uma neurotoxina que provoca espasmos e contrações contínuas nos músculos. Sua fatalidade se deve à contração do músculo diafragma causando, assim, insuficiência respiratória. Mas há ainda muitos outros sintomas complicados, como hiperatividade do SNA, hipertensão arterial e taquicardia.
Outra doença altamente virulenta é a provocada pelo vírus da raiva. Já o sarampo é uma doença viral que, em geral, não traz grandes prejuízos (sendo necessária uma maior atenção em mulheres grávidas, crianças desnutridas e pessoas com baixa imunidade, pois pode causar complicações maiores nesses grupos). O tracoma, uma doença bacteriana oftálmica, pode até levar à cegueira, mas não compromete a vida, sendo, portanto, pouco virulento. A poliomielite, por sua vez, normalmente não traz sintomas sérios, mas cerca de 1% dos infectados podem ter alguma paralisia (geralmente nos membros inferiores e de forma assimétrica), além de outras sequelas permanentes que podem até atingir a morte, mas essa taxa não é alta, logo, a poliomielite não é uma virose de alta virulência.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Manaíra Alcantara



Mensagens : 4
Data de inscrição : 31/10/2013

MensagemAssunto: Re: Qual o Gabarito? (VIII - Saúde Pública)   Qua Nov 20, 2013 2:34 am

2 letra B

Não há nenhuma evidencia que vacinas inativadas prejudiquem o feto. Os anticorpos da mãe são transferidos ao feto durante a gestação, protegendo a criança.
Algumas vacinas, como a vacina contra o tétano, são altamente recomendadas durante a gravidez, podendo ser administradas em duas ou três doses.


http://vacinasantajoana.com.br/pdf/vacinacao_gestantes.pdf
http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/manu_normas_vac.pdf
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
paulosales



Mensagens : 1
Data de inscrição : 03/11/2013

MensagemAssunto: Re: Qual o Gabarito? (VIII - Saúde Pública)   Qua Nov 20, 2013 2:58 am

9. Uma criança de 4 anos, que reside com os pais e 3 irmãos, e ainda não frequenta a escola, é admitida na emergência de um hospital. Ela apresenta um quadro de 48 horas de evolução de febre alta, cefaleia, lesões purpúricas extensas em tronco e membros inferiores, rigidez de nuca e convulsões. Há 24 horas vem fazendo uso de ampicilina por via oral. É submetida a uma punção lombar que evidencia líquor purulento, com leucócitos incontáveis e com diplococos gram-negativos à bacterioscopia. Uma conduta incorreta neste caso é:
A. A internação da criança, preferencialmente em isolamento, para tratamento com antibióticos venosos
B. A notificação imediata do caso à unidade de Vigilância Epidemiológica da área
C. O isolamento de todos os familiares para observação clínica
D. A administração de rifampicina aos familiares

A criança parece ter um quadro de meningite bacteriana, que causa inflamação nas meninges. Levando a sintomatologia apresentada pela criança. Para um tratamento eficaz e para prevenir a contaminação de outras pessoas é necessário que a criança seja isolada e que o tratamento comece imediatamente por antibiótico. A vigilância Epidemiológica deve ser avisada imediatamente, para que em caso de surto, possam ser tomadas medidas governamentais de forma urgente. Toda pessoa que tenha dito contato mais próximo com a criança deve tomar a rifampicina (antibiótico) de forma preventiva. Porém não se faz necessário o isolamento dos familiares, exceto se algum familiar apresentar a mesma sintomatologia da criança.

Gabarito letra: c
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Matheus Aquino



Mensagens : 1
Data de inscrição : 20/11/2013

MensagemAssunto: Re: Qual o Gabarito? (VIII - Saúde Pública)   Qui Nov 21, 2013 1:22 am

2 letra B

As vacinas vivas (vacina contra sarampo, contra rubéola, contra caxumba, contra febre amarela, BCG) são contra-indicadas em gestantes. Contudo, quando for muito alto o risco de ocorrer a infecção natural pelos agentes dessas doenças (viagens a áreas endêmicas ou vigência de surtos ou epidemias), deve-se avaliar cada situação, sendo válido optar-se pela vacinação quando o benefício for considerado maior do que o possível risco. Grávida comunicante de caso de sarampo, com condição imunitária desconhecida, deve receber imunoglobulina humana normal (imunização passiva).
Após a vacinação com vacinas de vírus vivos recomenda-se evitar a gravidez durante um mês. Entretanto, se a mulher engravidar antes desse prazo, ou se houver aplicação inadvertida durante a gestação, o risco é apenas teórico, e assim não se justifica o aborto em nenhum desses casos.

http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/manu_normas_vac.pdf
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Eduarda Collier de França



Mensagens : 2
Data de inscrição : 25/10/2013

MensagemAssunto: Re: Qual o Gabarito? (VIII - Saúde Pública)   Qui Nov 21, 2013 2:20 pm

10-D
No anexo das doenças fala em difteria, raiva humana e dengue em algumas situações e entre elas está a febre hemorrágica da dengue.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Danielle Aymar



Mensagens : 5
Data de inscrição : 29/10/2013

MensagemAssunto: Re: Qual o Gabarito? (VIII - Saúde Pública)   Qui Nov 21, 2013 2:26 pm

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Danielle Aymar



Mensagens : 5
Data de inscrição : 29/10/2013

MensagemAssunto: Re: Qual o Gabarito? (VIII - Saúde Pública)   Qui Nov 21, 2013 2:33 pm

Questao 14 - Letra B

Subsidiar processos de planejamento, gestão e avaliação de políticas e ações de saúde voltadas para a atenção pré-natal e ao parto, bem como para a proteção da saúde infantil.

http://tabnet.datasus.gov.br/tabdata/livroidb/2ed/CapituloC.pdf
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
MatheusAmorim



Mensagens : 2
Data de inscrição : 08/11/2013

MensagemAssunto: Re: Qual o Gabarito? (VIII - Saúde Pública)   Qui Nov 21, 2013 3:21 pm

Questão 19: D

"A prevenção da Criptococose se limita a evitar o contato direto com as fontes transmissoras da doença, principalmente os pombos.

As principais medidas de prevenção a Criptococose são:

-Evitar alimentar os pombos;
-Diminuir a quantidade de água, alimento ou abrigo para os pombos;
-Os locais que acumulam as fezes das aves devem ser limpos com água e cloro;
-Se for necessário entrar em contato com as aves, utilizar luvas e máscaras protetoras;
-Inclinar superfícies, para evitar o pouso dos pombos;
-Empregar acessórios como nylon ou barbantes, que dificultam o acesso dos pombos a superfícies planas como os telhados das casas;
-Utilização de cercas eletrificadas."

http://www.tuasaude.com/prevencao-da-criptococose/

"Até o momento, não existem medidas preventivas específicas, a não ser atividades educativas com relação ao risco de infecção. Medidas de controle de proliferação de pombos devem ser implementadas. Assim, nas áreas com grande numero de pombos, deve-se diminuir a disponibilidade de alimento, agua e, principalmente, abrigos, visando reduzir a população. Os locais com acúmulo de fezes devem ser umidificados para que os fungos possam ser removidos com segurança, evitando a dispersão por aerossóis. Não há necessidade de isolamento dos doentes. As medidas de desinfecção de secreção e fômites devem ser as de uso hospitalar rotineiro."

http://medicinanet.com.br/conteudos/revisoes/1740/criptococose.htm
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Melina Santos Carneiro



Mensagens : 1
Data de inscrição : 14/11/2013

MensagemAssunto: Re: Qual o Gabarito? (VIII - Saúde Pública)   Qui Nov 21, 2013 3:42 pm

7 letra C

LER é um doença que vem se tornando cada vez mais comum, ela é adquirida através da repetição exaustiva de uma determinada ação física, porém pode ser evitada através de intervalos para descanso e exercício durante o trabalho.

http://pesquisa.bvsalud.org/portal/resource/pt/mdl-23433448


Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Cassia França



Mensagens : 3
Data de inscrição : 29/10/2013

MensagemAssunto: Re: Qual o Gabarito? (VIII - Saúde Pública)   Qui Nov 21, 2013 3:56 pm

3) Nas áreas urbanas, o mosquito Aedes aegypti é o vetor do dengue e da:
A. Malária
B. Febre tifoide
C. Febre amarela (GABARITO CORRETO)
D. Leishmaniose tegumentar

Nas áreas de florestas, o principal vetor da febre amarela é o mosquito Haemagogus, no entanto, nos centros urbanos a transmissão se dar pelo mesmo mosquito da dengue: Aedes aegypti
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Cassia França



Mensagens : 3
Data de inscrição : 29/10/2013

MensagemAssunto: Re: Qual o Gabarito? (VIII - Saúde Pública)   Qui Nov 21, 2013 3:57 pm

20) No ambiente hospitalar, os riscos de radiações ionizantes ocorrem principalmente nos setores:
A. Centro cirúrgico e unidades de terapia intensiva
B. Radioterapia e radiodiagnóstico (GABARITO)
C. Radiodiagnóstico e unidades de terapia intensiva
D. Radioterapia e centro cirúrgico

Os setores de Radioterapia e radiodiagnosticos sao os locais de produção dessas radiações ionizantes, e, por isso, determinam um maior exposição por parte dos profissionais dessas áreas.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Cassia França



Mensagens : 3
Data de inscrição : 29/10/2013

MensagemAssunto: Re: Qual o Gabarito? (VIII - Saúde Pública)   Qui Nov 21, 2013 3:58 pm

4) Nos acidentes com material biológico ocorridos com profissionais que atuam na área de saúde, o atendimento adequado inclui que se faça, sempre que necessário, a profilaxia para:
A. Hepatite por vírus B e infecção pelo vírus HIV (GABARITO)
B. Hepatite por vírus C e infecção pelo vírus HIV
C. Hepatite por vírus A e B
D. Hepatite por vírus C e B

Na Hepatite B, Existe maior eficácia na profilaxia pós-exposição quando a imunoglobulina é utilizada dentro das primeiras 24 a 48 horas após o acidente
No caso do HIV, a quimioprofilaxia básica é indicada em casos de exposições com risco conhecido de transmissão pelo HIV. (QUIMIOPROFILAXIA BÁSICA = AZT + 3TC)
A quimioprofilaxia expandida é indicada em casos de exposição com elevado risco de transmissão pelo HIV.
QUIMIOPROFILAXIA EXPANDIDA = AZT + 3TC + IP (nelfinavir ou
indinavir/r)
"Na dúvida sobre o tipo de acidente, é melhor começar a profilaxia e
posteriormente reavaliar a manuntenção ou mudança do tratamento."
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Marina Zarzar



Mensagens : 6
Data de inscrição : 24/10/2013

MensagemAssunto: Re: Qual o Gabarito? (VIII - Saúde Pública)   Qui Nov 21, 2013 10:05 pm

20. No ambiente hospitalar, os riscos de radiações ionizantes ocorrem principalmente nos setores:
A. Centro cirúrgico e unidades de terapia intensiva
B. Radioterapia e radiodiagnóstico
C. Radiodiagnóstico e unidades de terapia intensiva
D. Radioterapia e centro cirúrgico

Resposta: B
Apesar de também haver riscos de radiação ionizante nos centros cirúrgicos e nas unidades de tratamento intensivo, os setores de radioterapia e de radiodiagnóstico são as mais ricas nesse tipo de radiação, pois utilizam suas propriedades particulares para realizar diagnóstico e tratamento. Assim, os profissionais que trabalham nessas áreas são os mais afetados, enquanto nos centros cirúrgicos e nas UTIs a radiação ionizante é ocasional e, em geral, não intencional.

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/seguranca_hosp.pdf
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Fabiano Ferreira



Mensagens : 1
Data de inscrição : 01/11/2013

MensagemAssunto: Re: Qual o Gabarito? (VIII - Saúde Pública)   Qui Nov 21, 2013 10:12 pm

Questão 13 - Gabarito E

O conhecimento sobre o Sistema de Notificação, no âmbito da Saúde Pública, é de suma importância para o processo de monitoramento, controle, atenuação, ascendência e erradicação de "fatores entrópicos" que comprometem o bem estar da saúde do cidadão. Nesse contexto, inúmeros "profissionais", das amplas instituições relacionadas à área de saúde, contribuem para a eficácia deste processo. Segundo as informações da Secretaria de Saúde do Governo Federal temos:

Aspectos que devem ser considerados na notificação:
• Notificar a simples suspeita da doença ou evento. Não se deve aguardar a confirmação do
caso para se efetuar a notificação
, pois isso pode significar perda da oportunidade de intervir
eficazmente.
• A notificação tem de ser sigilosa, só podendo ser divulgada fora do âmbito médico-sanitário
em caso de risco para a comunidade, respeitando-se o direito de anonimato dos
cidadãos.
• O envio dos instrumentos de coleta de notificação deve ser feito mesmo na ausência de
casos, configurando-se o que se denomina notificação negativa, que funciona como um
indicador de eficiência do sistema de informações.

Fonte: http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/gve_7ed_web_atual.pdf
- http://notificacao.pbh.gov.br/
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: Qual o Gabarito? (VIII - Saúde Pública)   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Qual o Gabarito? (VIII - Saúde Pública)
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 2Ir à página : 1, 2  Seguinte
 Tópicos similares
-
» Qual joystick comprar??
» Qual câmera comprar?
» Qual o melhor antivirus free?
» Qual foi o melhor pouso?
» qual placa de video comprar ATI

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Conhecimento Virtual :: Medicina - Turma 134 - UFPE-
Ir para: