Conhecimento Virtual

Projeto Conhecimento Virtual Profa. Hélia Cannizzaro
 
InícioCalendárioFAQBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

 Qual o GABARITO? (VI)

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
Ir à página : 1, 2, 3  Seguinte
AutorMensagem
Hélia Cannizzaro



Mensagens : 1065
Data de inscrição : 23/06/2013

MensagemAssunto: Qual o GABARITO? (VI)   Dom Nov 10, 2013 8:11 pm

Qual o GABARITO? (VI)

1. Paciente em pós-operatório de tireoidectomia total (=retirada total da tireoide) compareceu ao hospital com queixas de câimbras e parestesias (alterações da sensibilidade). Qual a provável hipótese diagnóstica?
A. Hipoglicemia
B. DNV (distúrbio neuro-vegetativo). Do SNP por stress
C. Hipocalcemia
D. Hipomagnesenemia
E. Baixos níveis de T4 sérico (sérico = no sangue)

2. Qual dos antimicrobianos abaixo deve ser prescrito para um paciente portador de infecção de ferida operatória, cuja cultura mostre Staphylococcus aureus resistente à oxacilina:
A. Lincomicina
B. Carbenicilina
C. Piperacilina
D. Ciprofloxacina
E. Vancomicina

3. Paciente com deficiência de fatores de coagulação Vitamina K dependente, apresentando-se com sangramento importante. Qual das opções a seguir você utilizaria primeiro, além da reposição de concentrado de hemácias?
A. Vitamina K
B. Concentrado de plaquetas
C. Plasma fresco
D. Concentrado de Fator VIII

4. O carcinoma mais comum da parótida é:
A. Tumor misto maligno
B. Carcinoma mucoepidermoide
C. Carcinoma de células acinares
D. Adenoma

5. Paciente viciado em drogas por via venosa apresenta-se com artrite séptica (=contaminada). Qual dos patógenos (agentes) abaixo você pensaria como responsável pelo quadro infeccioso:
A. Staphylococcus epidermidis
B. Pneumococcus
C. Pseudomonas
D. Candida albicans
E. Proteus


6. A Síndrome de Fitz-Hughs-Curtis está correlacionada com:
A. Metástase hepática de carcinoma de útero
B. Artrite séptica
C. Endocardite séptica
D. Peri-hepatite
E. Câncer de ovário

7. Uma criança de mais ou menos 12 anos deu entrada no pronto-socorro com queixas de dor abdominal mais ou menos intensa no hemitórax direito e região epigástrica; vômitos; tosse com expectoração amarelada e com 39oC de temperatura axilar. Que exame faria inicialmente para elucidar o diagnóstico?
A. Hemograma
B. Radiografia simples do abdome
C. Colecistograma oral
D. Exame clínico do aparelho respiratório
E. Dosagem de amilase

8. Nesse caso anterior, qual o diagnóstico?
A. Gastroenterite
B. Pancreatite aguda
C. Colecistite aguda
D. Pneumonia lobar direita
E. Infecção urinária

9. O sinal clínico de Murphy é patognomônico de que patologia:
A. Pancreatite
B. Apendicite
C. Obstrução intestinal
D. Úlcera perfurada
E. Colecistite (vesícula biliar) aguda

10. Qual a causa mais frequente de hemorragia digestiva que se exterioriza sob a forma de melena (sangue nas fezes de aspecto escuro = hemorragia alta):
A. Doença diverticular
B. Carcinoma (CA) de esôfago
C. CA gástrico
D. Úlcera péptica
E. Colecistite aguda

11. Paciente com artrite reumatoide que desenvolve proteinúria (presença de proteínas na urina) e hepatomegalia, leva ao diagnóstico de:
A. Hepatoma (tumor de fígado)
B. Glomerulonefrite
C. Amiloidose (depósito proteico irregular nos tecidos)
D. Mieloma múltiplo (tumor de imunoglobulinas)

12. Os cálculos biliares de colesterol ocorrem principalmente:
A. Anemia hemolítica
B. Diabetes mellitus
C. Anomalia das vias biliares
D. Cirrose hepática

13. A alteração laboratorial importante na pancreatite aguda e que significa agravamento do quadro clínico é:
A. Aumento de secretina
B. Hipocalcemia
C. Hipocalemia
D. Aumento de serotonina

14. Anemia comumente encontrada no mundo é:
A. Ferropriva
B. De doença crônica
C. Megaloblástica
D. Falciforme

15. Paciente de 16 anos, sexo masculino, apresentando quadro de febre, leucocitose, aumento do volume do joelho esquerdo, sugestivo de artrite séptica (=contaminada). Dos agentes etiológicos descritos abaixo, qual o mais provável?
A. Staphylococcus aureus
B. Pseudomonas aeruginosa
C. Proteus mirabilis
D. Salmonella sp
E. Haemphilus influenzae

16. A doença respiratória provocada pela inalação de poeira do ar relacionada às condições insalubres do trabalho é:
A. Sarcoidose
B. Histoplasmose
C. Pneumoconiose
D. Pneumonia

17. Que efeito terapêutico é mais frequentemente encontrado quando ocorre uso abusivo de benzodiazepínicos?
A. Defeito do tubo neural
B. Estenose do esôfago
C. Microcefalia

18. Uma paciente do sexo feminino, 57 anos foi internada com antecedentes de cólica abdominal. Evoluiu subitamente com forte dor na FID (=fossa ilíaca direita) e sinais de irritação peritoneal. Ao exame complementar havia leucocitose com desvio à esquerda (=presença de células jovens como bastão, metamielócitos e mielócitos). O RX de abdome mostrou uma imagem de pneumoperitôneo. O diagnóstico mais provável é:
A. Síndrome de cólon irritável
B. Úlcera péptica perfurada
C. Amebíase intestinal
D. Divertículo de cólon perfurado

19. No LES (lúpus eritematoso sistêmico), a manifestação clínica inicial mais frequente é:
A. Pleurite
B. Erupção cutânea
C. Artralgia e mialgia (dores nas articulações e músculos, respectivamente)
D. Fenômeno de Raynaud

20. A síndrome de Sjogren (secura nas mucosas e pele por falta de IgA) pode estar mais associada secundariamente a:
A. Úlcera péptica
B. Febre reumática
C. Artrite reumatoide
D. Tuberculose renal

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Tiago Ferreira



Mensagens : 1
Data de inscrição : 02/11/2013

MensagemAssunto: Re: Qual o GABARITO? (VI)   Dom Nov 10, 2013 8:44 pm

Resposta da 20 - Letra C. Artrite Reumatoide
A Síndrome de Sjögren primária se caracteriza por ocorrer isoladamente, sem a presença de outra doença auto-imune, enquanto que a Síndrome de Sjögren secundária ocorre quando seus sintomas são acompanhados de uma outra doença auto-imune como a Artrite Reumatoide, Lúpus Eritrematoso Sistêmico ou Esclerodermia
http://www.artritereumatoide.blog.br/tag/sindrome-de-sjogren/
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Hélia Cannizzaro



Mensagens : 1065
Data de inscrição : 23/06/2013

MensagemAssunto: Re: Qual o GABARITO? (VI)   Dom Nov 10, 2013 9:23 pm

Correto, Tiago Ferreira.

Tiago Ferreira escreveu:
Resposta da 20 - Letra C. Artrite Reumatoide
A Síndrome de Sjögren primária se caracteriza por ocorrer isoladamente, sem a presença de outra doença auto-imune, enquanto que a Síndrome de Sjögren secundária ocorre quando seus sintomas são acompanhados de uma outra doença auto-imune como a Artrite Reumatoide, Lúpus Eritrematoso Sistêmico ou Esclerodermia
http://www.artritereumatoide.blog.br/tag/sindrome-de-sjogren/
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Thomazseixas



Mensagens : 1
Data de inscrição : 04/11/2013

MensagemAssunto: Re: Qual o GABARITO? (VI)   Dom Nov 10, 2013 10:47 pm

Questão 9, resposta letra E.

O sinal clínico de Murphy é um exame fìsico indicativo de colecistite aguda. O exame demonstra comprometimento visceral e parietal do peritônio. Esse sinal é definido como dor intensa quando o examinador, com a mão no ponto vesicular, solicita que o paciente respire profundamente, mobilizando a vesícula doente em direção a sua mão e piorando o quadro álgico. A colecistite aguda é um quadro clínico de alta frequência nas emergências de todo o mundo, se caracterizando por uma obstrução no ducto biliar, levando em 90% dos casos a uma inflamação vesicular. Além do sinal de Murphy, o quadro pode ser confirmado com exames de sangue acusando leucocitose e uma ecografia para demonstrar um espassamento significativo na parede do órgão.

Referencia: http://revista.hupe.uerj.br/detalhe_artigo.asp?id=169

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Hélia Cannizzaro



Mensagens : 1065
Data de inscrição : 23/06/2013

MensagemAssunto: Re: Qual o GABARITO? (VI)   Dom Nov 10, 2013 11:01 pm

Thomaz Seixas
Correto.
Lembrando, também, que pode haver cálculo biliar (colelitíase) sem processo inflamatório/infeccioso (colecistite).
Os exames que você solicitou, ao lado de VHS e ultrassonografia, esclarecem.
O sinal clínico de obstrução é icterícia.
Hélia Cannizzaro

Thomazseixas escreveu:
Questão 9, resposta letra E.

O sinal clínico de Murphy é um exame fìsico indicativo de colecistite aguda. O exame demonstra comprometimento visceral e parietal do peritônio. Esse sinal é definido como dor intensa quando o examinador, com a mão no ponto vesicular, solicita que o paciente respire profundamente, mobilizando a vesícula doente em direção a sua mão e piorando o quadro álgico. A colecistite aguda é um quadro clínico de alta frequência nas emergências de todo o mundo, se caracterizando por uma obstrução no ducto biliar, levando em 90% dos casos a uma inflamação vesicular. Além do sinal de Murphy, o quadro pode ser confirmado com exames de sangue acusando leucocitose e uma ecografia para demonstrar um espassamento significativo na parede do órgão.

Referencia: http://revista.hupe.uerj.br/detalhe_artigo.asp?id=169

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Pedroablins



Mensagens : 2
Data de inscrição : 03/11/2013

MensagemAssunto: Re: Qual o GABARITO? (VI)   Dom Nov 10, 2013 11:14 pm

Questão 14 - Letra A



Facilmente encontrada em todo o mundo, principalmente entre as crianças, a anemia por deficiência de ferro ou Anemia Ferropriva é um dos quadros mais comuns com que os médicos, de qualquer especialidade, se deparam em seus ambulatórios e consultórios.

Existem duas causas básicas para a deficiência de ferro: 1) a diminuição da ingesta do mineral com a alimentação; e 2) a perda crônica de sangue, geralmente em pequenas quantidades, mas de forma contínua, durante semanas, meses ou mesmo anos (ver abaixo).

Nas crianças a causa mais comum da deficiência de ferro é a alimentação deficiente, problema que se torna mais importante nos países subdesenvolvidos. Para complicar mais a história, a necessidade de ferro das crianças é muito maior da que a dos adultos, em função do crescimento. Até a adolescência, as crianças têm 7 vezes mais necessidade de ferro do que os adultos. Em condições normais, porém, com uma alimentação diversificada, rica em carnes e verduras (o que não é muito comum na maioria das vezes...), a criança pode manter-se sem anemia e de forma saudável. Uma vez identificada, porém, a deficiência, é necessária a reposição de ferro via medicamento, porque a reposição através somente da alimentação, mesmo que rica em ferro, levaria muito tempo para trazer o paciente à normalidade.

Já nos adultos a causa mais comum de deficiência de ferro não é a baixa ingesta, mas sim, a perda crônica de sangue. A necessidade de ferro dos adultos, em condições estáveis, é muito baixa, menos de 1 mg ao dia. Portanto, a ingesta mesmo de pequenas quantidades de carne ou verduras ao longo da semana é o suficiente para manter os estoques de ferro em níveis normais, já que a perda de ferro diária (também em condições normais), é também muito pequena através da descamação da pele e das células da mucosa do tubo digestivo.
Quando se instala, porém, um quadro de perda crônica acima desses níveis, a anemia se instala, geralmente de forma lenta. Nas mulheres a causa mais comum é um fluxo menstrual abundante. Nos homens e nas mulheres que já estão na menopausa, sempre que se faz o diagnóstico de anemia ferropriva, é OBRIGATÓRIA a procura de um eventual local de sangramento que, geralmente, ocorre no tubo digestivo. A endoscopia alta (para avaliar o esôfago, estômago e duodeno) e/ou a colonocospia (para avaliar o intestino grosso) resolvem essa questão em mais de 80% dos casos. Nesses casos podemos encontrar desde processos simples como gastrites, úlceras e divertículos, até tumores benignos ou malignos como possíveis causas do sangramento.

Uma vez identificada a causa, esse sangramento deve ser estancado, seja através de medicamentos, seja através de cirurgia, ao mesmo tempo que se inicia a reposição de ferro que pode ser via oral ou através de injeções no músculo ou venosas, se a anemia for muito intensa e se o paciente estiver com sintomas importantes de anemia.

Uma dica: como a anemia ferropriva vai se instalando de forma muito lenta, o organismo também lentamente vai se adaptando a conviver com ela. É comum, então, encontrarmos pacientes com anemia importante e com pouquíssimos sintomas, que acabam procurando auxílio médico apenas quando a anemia se torna muito intensa. Portanto, se em algum exame de rotina for detectada anemia, mesmo que de pequena monta, procure um médico para que uma pesquisa básica possa ser feita e o tratamento iniciado no menor espaço de tempo possível.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
João Sóstenes Peter

avatar

Mensagens : 9
Data de inscrição : 29/10/2013

MensagemAssunto: Re: Qual o GABARITO? (VI)   Ter Nov 12, 2013 1:08 am

Questão 6 - Letra D

Conhecida como peri-hepatite é uma doença inflamatória localizada na região pélvica. Geralmente decorre de uma infecção ocasionada pelas bactérias Neisseria gonorrhoeae e Chlamydia trachomatis. Os sintomas dessa doença são os seguintes : Dor abdominal, hipersensibilidade hepática(topografia) e peritonite(inflamação do peritônio-membrana serosa que reveste a cavidade abdominal e vísceras-)em hipocôndrio direito. O diagnóstico se dá com o exame clínico(principalmente exame físico) e complementares( laboratoriais e imagem). Em casos mais difíceis, para dirimir as dúvidas, adota-se a realização de uma laparoscopia(com vídeo),método de maior acurácia para identificação(visualizada como ''cordas de violino''-aderências- entre a superfície hepática e abdominal). Por ser causada por bactérias, o tratamento se dá, principalmente, com o uso de antibióticos(azitromicina,por exemplo, no caso da Chlamydia trachomatis)  sendo a cirurgia só recomendada em casos mais graves(generalização).

Referências :
http://pedrorpb.blogspot.com.br/2009/04/sindrome-de-fitz-hugh-curtis.html
http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0037-86822000000500007&script=sci_arttext
http://www.scielo.cl/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0717-75262009000300009
http://www.infoescola.com/doencas-bacterianas/sindrome-de-fitz-hugh-curtis/
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Aída Carla



Mensagens : 7
Data de inscrição : 26/10/2013

MensagemAssunto: Re: Qual o GABARITO? (VI)   Ter Nov 12, 2013 11:38 pm

Questão 19 - Letra B - Erupção Cultânea

O lúpus eritematoso sistêmico é uma doença inflamatória crônica, multissistêmica, de causa desconhecida e de natureza autoimune, caracterizada pela presença de diversos auto-anticorpos. Evolui com manifestações clínicas polimórficas, com períodos de exacerbaçoes e remissões. Vale ressaltar que o desenvolvimento da doença está relacionado à predisposição genética e aos fatores ambientais, como luz ultravioleta e alguns medicamentos.
As suas manifestações clínicas podem aparecer isoladamente, de forma consecutiva ou aditiva. As lesões cutâneas são de grande importância no reconhecimento do LES e, no início da doença, são extremamente freqüentes, correspondendo a aproximadamente 70% dos casos, o que facilita a sua suspeita, além de serem observadas em mais de 90% dos pacientes lúpicos em algum momento da doença. A manifestação cutânea aguda é a mais conhecida no LES e sua forma localizada é descrita como rash malar ou rash em “asa de borboleta”.
Entre as mais diversas manifestações clínicas, pode haver:
- Pleurite, a qual é a manifestação pulmonar mais frequente;
- Fenômeno de Raynoud, que está fortemente associado à presença de anticorpos anti-RNP. Sua frequência e intensidade estão associadas à exposição ao frio.
- Manifestações músculo-esqueléticas, como artralgia e mialgia.
Professora, fiquei muito em dúvida na letra C ( dores nas articulações e nos músculos), pois li que "as manifestações músculo-esqueléticas são freqüentes nas fases iniciais da doença, podendo a artralgia e/ou artrite ser a principal queixa em aproximadamente 75% a 80% no momento do diagnóstico e comprometer até 90% dos pacientes no curso da doença. Os sintomas articulares que se manifestam durante anos podem preceder o aparecimento de outros sintomas". Além disso, conheço uma mulher que tem lúpus e ela me falou que na infância sentia dores relacionadas com o crescimento. Ela só descobriu o lúpus aos 17 anos, devido ao surgimento de erupções cultâneas no rosto.

Referências
http://www.medicinanet.com.br/m/conteudos/revisoes/65/lupus_eritematoso_sistemico.htm
http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0365-05962011000700023&lang=pt
http://cidmed.com.br/pdf/lupus.pdf
http://www.moreirajr.com.br/revistas.asp?id_materia=4087&fase=imprime

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
mariana.chevrollier



Mensagens : 7
Data de inscrição : 25/10/2013

MensagemAssunto: Re: Qual o GABARITO? (VI)   Qua Nov 13, 2013 2:48 am

Questão 13 - B - Hipocalcemia

De acordo com o critério de Ransom e de Glasgow para a avaliação da gravidade da pancreatite aguda, dentre outras medições, o nível de calcemia é inferior a 2.0 mmol/L ou 8.0 mg/dL. Deve-se comparar os níveis de calcemia na admissão e após 48h. Em casos de agravamento, o cálcio precipita na forma de complexos com ácidos graxos.

Referências:
http://www.spmi.pt/revista/vol06/vol6_n1_1999_43-49.pdf
http://revista.hupe.uerj.br/detalhe_artigo.asp?id=170
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
mariana.chevrollier



Mensagens : 7
Data de inscrição : 25/10/2013

MensagemAssunto: Re: Qual o GABARITO? (VI)   Qua Nov 13, 2013 11:26 pm

Questão 5 - letra C

A artrite séptica se caracteriza pela inflamação de uma articulação causada por bactérias, vírus ou fungos. Geralmente a inflamação se dá numa única articulação, mas mais de uma pode ser acometida.
O patógeno causador de artrite séptica mais provável de afetar usuários de drogas do tipo intravenosa, como a heroína, é o pseudomonas. A articulação esternoclavicular é a que possui mais casos relatados. O tratamento inclui drogas como a gentamicina e carbenicilina.

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/15118542
http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/1150704
http://www.medicinenet.com/septic_arthritis/article.htm#what_microbes_cause_septic_arthritis
http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC271426/
http://www.orthobullets.com/trauma/1058/septic-arthritis--adult
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Ana Raquel Ferraz



Mensagens : 2
Data de inscrição : 24/10/2013

MensagemAssunto: Re: Qual o GABARITO? (VI)   Qui Nov 14, 2013 12:03 am

Questão 17- A

O benzodiazepínicos, como a carbamazepina, são bastante usados como ansiolíticos, especialmente durante a gravidez, mas podem causar más formações fetais, como é o caso do mau desenvolvimento do tubo neural. Inúmeras drogas apresentam efeito teratogênico comprovado, entre elas: metotrexato (malformações dos membros e do SNC), inibidores da enzima de conversão de angiotensina (alterações renais), carbamazepina (defeitos do tubo neural), ciclofosfamida (malformações do SNC), danazol (masculinização do feto feminino) etc.

http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0365-05962005000200009&script=sci_arttext&tlng=es
http://www.scielo.br/pdf/rbgo/v30n1/a01v30n1.pdf


Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
felipepeixotos



Mensagens : 2
Data de inscrição : 01/11/2013

MensagemAssunto: Re: Qual o GABARITO? (VI)   Qui Nov 14, 2013 12:11 am

Questão 1, letra C.


Junto à glândula tireóide, existem as glândulas paratireóides, que são responsáveis por produzir PTH, hormõnio regulador de cálcio no sangue. A operação pode causar uma diminuição temporária ou definitiva dessas glândulas, causando hipocalcemia , pode haver uma diminuição temporária ou definitiva da função destas glândulas, levando à queda dos níveis de cálcio no sangue (hipocalcemia). . O paciente pode apresentar sintomas como: formigamentos nas mãos, nos pés, ao redor dos lábios e nas orelhas que podem evoluir para cãimbras. O tratamento consiste em receber grandes doses de cálcio e Vitamina D. Raramente estes sintomas ocorrem em tireoidectomias parciais.

Referências
http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0100-69912004000400004&script=sci_arttext
http://www.hcancerbarretos.com.br/cancer-de-tireoide/139-paciente/tipos-de-cancer/cancer-de-tireoide/228-orientacoes-para-cirurgia-de-tireoide
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Fernanda Carvalho



Mensagens : 4
Data de inscrição : 30/10/2013

MensagemAssunto: Re: Qual o GABARITO? (VI)   Qui Nov 14, 2013 12:13 am

Questão 4- B

O tumor maligno mais comum da parótida é o carcinoma mucoepidermoide. Os tumores da parótida são, em sua maioria, benignos, tendo como um dos mais comuns, o adenoma pleomórfico (tumor misto benigno), seguido do tumor de Warthin ( cistoadenoma papilífero linfomatoso ).

Obs.: Professora Hélia, não encontrei informações acerca do "tumor misto maligno".

http://tireoide.com/wp-content/uploads/2013/04/Gl%C3%A2ndulas-Salivares1.pdf
http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1808-86942009000400005&script=sci_arttext&tlng=pt
http://www.medicinanet.com.br/conteudos/revisoes/2296/tumores_de_glandulas_salivares.htm
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
felipepeixotos



Mensagens : 2
Data de inscrição : 01/11/2013

MensagemAssunto: Re: Qual o GABARITO? (VI)   Qui Nov 14, 2013 12:22 am

Questão 6, resposta D.

A síndrome de Fitz-Hugh-Curtis, também chamada de peri-hepatite gonocócica, consiste em uma complicação pouco frequente da doença inflamatória pélvica, tipicamente decorrente da infecção pela Neisseria gonorrhoeae e Chlamydia trachomatis.

Referências
http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0037-86822000000500007&script=sci_arttext
http://www.infoescola.com/doencas-bacterianas/sindrome-de-fitz-hugh-curtis/
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Ana Raquel Ferraz



Mensagens : 2
Data de inscrição : 24/10/2013

MensagemAssunto: Re: Qual o GABARITO? (VI)   Qui Nov 14, 2013 12:52 am

Questão 2 - E

A bactéria em questão compõe a biota natural do corpo humano (pele, narinas etc.), porém em algumas situações pode se tornar agressiva gerando pericardite ou até septicemia. O aumento da frequência de infecções hospitalares causadas por Staphylococcus aureus resistentes à oxacilina foi paralelamente acompanhado da aquisição da resistência à maioria dos antimicrobianos com atividade antiestafilocócica atualmente disponíveis, como aminoglicosídeos, cloranfenicol, lincosamídeos, macrolídeos, quinolonas e tetraciclina. Por conseguinte, os glicopeptídeos, principalmente a vancomicina, tornaram-se uma das poucas alternativas terapêuticas eficazes no tratamento de infecções causadas por essas cepas.


http://www.scielo.br/pdf/jbpml/v37n4/a04v37n4.pdf
https://sbac.org.br/pt/pdfs/rbac/rbac_39_02/rbac_39_2_13.pdf
http://www.scielo.br/pdf/jbpml/v43n6/v43n6a05.pdf

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Mariana Pessoa



Mensagens : 2
Data de inscrição : 28/10/2013

MensagemAssunto: Re: Qual o GABARITO? (VI)   Qui Nov 14, 2013 1:16 am

Questão: 16
Gabarito: C

A Pneumoconiose é uma doença atrelada a inalação de poeira do ar, esta patologia esta relacionada a profissionais que trabalham com mineração, metalurgia, na construção civil, na fabricação de cerâmicas, de vidros e estão sujeitos a condições de trabalho insalubres, na qual se expõem a substâncias que o organismo tem dificuldade de combater com seus sistemas de defesa imunitária e leucocitária, como a sílica. Essas partículas atingem as vias respiratórias inferiores, se acumulando nos bronquíolos e alvéolos, levando a um processo inflamatório, que quando prolongado pode culminar em alterações pulmonares. O diagnóstico é feito a partir da história clínica, dos sintomas apresentados e da análise de um raio-x. O principal sintoma é o aparecimento de uma tosse seca persistente, durante ou logo após o trabalho. No tratamento faz-se uso de corticosteroides e recomenda-se o afastamento da função. A utilização de uma máscara respiratória apropriada pode prevenir ou estacionar a doença, protegendo o paciente.

Referências:
http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/protocolo_pneumoconioses.pdf
http://www.tuasaude.com/pneumoconiose/
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Safira Zaicaner



Mensagens : 1
Data de inscrição : 03/11/2013

MensagemAssunto: Re: Qual o GABARITO? (VI)   Qui Nov 14, 2013 1:52 am

Questão 4, resposta B.

O carcinoma mucoepidermóide é o tumor maligno mais comum da glândula parótida. Tem incidência igual entre os sexos, e geralmente ocorre a partir dos 50 anos de idade. Apresenta-se clinicamente de forma  heterogênea, refletindo seus graus de malignidade que estão relacionados com o tamanho, a mobilidade (possibilidade de metástase) e o comprometimento do nervo facial. A punção aspirativa com agulha fina para avaliação cito-patológica é o exame mais indicado para diagnosticar a doença e além dele, pode-se utilizar também da radiografia de mandíbula, tomografia computadorizada e ressonância magnética. O principal sintoma de pacientes com tumor na parótida é o aumento de volume da região. Alguns pacientes também apresentam dor, paralisia facial e/ou trismo (restrição na mobilidade mandibular). O tratamento depende do grau do tumor, mas em praticamente todos os casos a parotidectomia é feita, podendo ser parcial ou total, e a preservação do nervo facial deve ser feita sempre que possível. Normalmente, a radioterapia complementar também é indicada.


Fontes:
http://www.medicinanet.com.br/conteudos/revisoes/2296/tumores_de_glandulas_salivares.htm
http://www.inca.gov.br/rbc/n_48/v01/pdf/condutas.pdf
http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1808-86942009000400005&script=sci_arttext&tlng=pt
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Hélia Cannizzaro



Mensagens : 1065
Data de inscrição : 23/06/2013

MensagemAssunto: Re: Qual o GABARITO? (VI)   Sex Nov 15, 2013 4:14 pm

Pedro Lins
O que achei mais interessante das suas observações, entre outras, foi a "perda crônica".
O grande vilão, neste capítulo é a menstruação - além de patologias como mioma uterino, mola hidatiforme, etc. Outro grande vilão é o sistema digestivo às vezes com sangue visível, às vezes com sangue oculto (que pode ser pesquisado no laboratório) - como sangramentos de úlcera péptica, diverticulites, doença de Crohn, parasitoses, hemorroidea, etc.
Você, no seu texto, fortalece, e muito, a Atenção na Saúde em que anemia ferropriva não se deve apenas à carência dos carentes sociais entre pobreza e miséria.
Isto aumenta a nossa atenção como Médicos. Certamente.
Obrigada.
Hélia Cannizzaro

Pedroablins escreveu:
Questão 14 - Letra A



Facilmente encontrada em todo o mundo, principalmente entre as crianças, a anemia por deficiência de ferro ou Anemia Ferropriva é um dos quadros mais comuns com que os médicos, de qualquer especialidade, se deparam em seus ambulatórios e consultórios.

Existem duas causas básicas para a deficiência de ferro: 1) a diminuição da ingesta do mineral com a alimentação; e 2) a perda crônica de sangue, geralmente em pequenas quantidades, mas de forma contínua, durante semanas, meses ou mesmo anos (ver abaixo).

Nas crianças a causa mais comum da deficiência de ferro é a alimentação deficiente, problema que se torna mais importante nos países subdesenvolvidos. Para complicar mais a história, a necessidade de ferro das crianças é muito maior da que a dos adultos, em função do crescimento. Até a adolescência, as crianças têm 7 vezes mais necessidade de ferro do que os adultos. Em condições normais, porém, com uma alimentação diversificada, rica em carnes e verduras (o que não é muito comum na maioria das vezes...), a criança pode manter-se sem anemia e de forma saudável. Uma vez identificada, porém, a deficiência, é necessária a reposição de ferro via medicamento, porque a reposição através somente da alimentação, mesmo que rica em ferro, levaria muito tempo para trazer o paciente à normalidade.

Já nos adultos a causa mais comum de deficiência de ferro não é a baixa ingesta, mas sim, a perda crônica de sangue. A necessidade de ferro dos adultos, em condições estáveis, é muito baixa, menos de 1 mg ao dia. Portanto, a ingesta mesmo de pequenas quantidades de carne ou verduras ao longo da semana é o suficiente para manter os estoques de ferro em níveis normais, já que a perda de ferro diária (também em condições normais), é também muito pequena através da descamação da pele e das células da mucosa do tubo digestivo.
Quando se instala, porém, um quadro de perda crônica acima desses níveis, a anemia se instala, geralmente de forma lenta. Nas mulheres a causa mais comum é um fluxo menstrual abundante. Nos homens e nas mulheres que já estão na menopausa, sempre que se faz o diagnóstico de anemia ferropriva, é OBRIGATÓRIA a procura de um eventual local de sangramento que, geralmente, ocorre no tubo digestivo. A endoscopia alta (para avaliar o esôfago, estômago e duodeno) e/ou a colonocospia (para avaliar o intestino grosso) resolvem essa questão em mais de 80% dos casos. Nesses casos podemos encontrar desde processos simples como gastrites, úlceras e divertículos, até tumores benignos ou malignos como possíveis causas do sangramento.

Uma vez identificada a causa, esse sangramento deve ser estancado, seja através de medicamentos, seja através de cirurgia, ao mesmo tempo que se inicia a reposição de ferro que pode ser via oral ou através de injeções no músculo ou venosas, se a anemia for muito intensa e se o paciente estiver com sintomas importantes de anemia.

Uma dica: como a anemia ferropriva vai se instalando de forma muito lenta, o organismo também lentamente vai se adaptando a conviver com ela. É comum, então, encontrarmos pacientes com anemia importante e com pouquíssimos sintomas, que acabam procurando auxílio médico apenas quando a anemia se torna muito intensa. Portanto, se em algum exame de rotina for detectada anemia, mesmo que de pequena monta, procure um médico para que uma pesquisa básica possa ser feita e o tratamento iniciado no menor espaço de tempo possível.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Hélia Cannizzaro



Mensagens : 1065
Data de inscrição : 23/06/2013

MensagemAssunto: Re: Qual o GABARITO? (VI)   Sex Nov 15, 2013 4:26 pm

João Sóstenes Peter
Exato. Felizmente que as Síndromes são mais raras na nossa Medicina.
O que se espera com maior frequência do agente Neisseria gonorrhoeae é que condicione a gonorreia (doença venérea) e que a Chlamydia trachomatis lesione com frequência o colo uterino. Mesmo nos Imunocompetentes. "Competência" não tem em Medicina sentido "generalizado" - somos às vezes clinicamente competentes e às vezes incompetentes frente às intempéries ambientais. Se assim não fosse, teríamos um "corpo" eterno e nós Médicos seríamos dispensáveis.
Hélia Cannizzaro


João Sóstenes Peter escreveu:
Questão 6 - Letra D

Conhecida como peri-hepatite é uma doença inflamatória localizada na região pélvica. Geralmente decorre de uma infecção ocasionada pelas bactérias Neisseria gonorrhoeae e Chlamydia trachomatis. Os sintomas dessa doença são os seguintes : Dor abdominal, hipersensibilidade hepática(topografia) e peritonite(inflamação do peritônio-membrana serosa que reveste a cavidade abdominal e vísceras-)em hipocôndrio direito. O diagnóstico se dá com o exame clínico(principalmente exame físico) e complementares( laboratoriais e imagem). Em casos mais difíceis, para dirimir as dúvidas, adota-se a realização de uma laparoscopia(com vídeo),método de maior acurácia para identificação(visualizada como ''cordas de violino''-aderências- entre a superfície hepática e abdominal). Por ser causada por bactérias, o tratamento se dá, principalmente, com o uso de antibióticos(azitromicina,por exemplo, no caso da Chlamydia trachomatis)  sendo a cirurgia só recomendada em casos mais graves(generalização).

Referências :
http://pedrorpb.blogspot.com.br/2009/04/sindrome-de-fitz-hugh-curtis.html
http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0037-86822000000500007&script=sci_arttext
http://www.scielo.cl/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0717-75262009000300009
http://www.infoescola.com/doencas-bacterianas/sindrome-de-fitz-hugh-curtis/
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Hélia Cannizzaro



Mensagens : 1065
Data de inscrição : 23/06/2013

MensagemAssunto: Re: Qual o GABARITO? (VI)   Sex Nov 15, 2013 4:49 pm

Aída Carla
Exato. A "asa de borboleta" fica localizada no rosto (mancha enegrecida) na altura do masseter (em ambos os lados).
Por que é a única doença auto-imune com esta expressão cutânea?
Hélia Cannizzaro

Aída Carla escreveu:
Questão 19 - Letra B - Erupção Cultânea

O lúpus eritematoso sistêmico é uma doença inflamatória crônica, multissistêmica, de causa desconhecida e de natureza autoimune, caracterizada pela presença de diversos auto-anticorpos. Evolui com manifestações clínicas polimórficas, com períodos de exacerbaçoes e remissões. Vale ressaltar que o desenvolvimento da doença está relacionado à predisposição genética e aos fatores ambientais, como luz ultravioleta e alguns medicamentos.
As suas manifestações clínicas podem aparecer isoladamente, de forma consecutiva ou aditiva. As lesões cutâneas são de grande importância no reconhecimento do LES e, no início da doença, são extremamente freqüentes, correspondendo a aproximadamente 70% dos casos, o que facilita a sua suspeita, além de serem observadas em mais de 90% dos pacientes lúpicos em algum momento da doença. A manifestação cutânea aguda é a mais conhecida no LES e sua forma localizada é descrita como rash malar ou rash em “asa de borboleta”.
Entre as mais diversas manifestações clínicas, pode haver:
- Pleurite, a qual é a manifestação pulmonar mais frequente;
- Fenômeno de Raynoud, que está fortemente associado à presença de anticorpos anti-RNP. Sua frequência e intensidade estão associadas à exposição ao frio.
- Manifestações músculo-esqueléticas, como artralgia e mialgia.
Professora, fiquei muito em dúvida na letra C ( dores nas articulações e nos músculos), pois li que "as manifestações músculo-esqueléticas são freqüentes nas fases iniciais da doença, podendo a artralgia e/ou artrite ser a principal queixa em aproximadamente 75% a 80% no momento do diagnóstico e comprometer até 90% dos pacientes no curso da doença. Os sintomas articulares que se manifestam durante anos podem preceder o aparecimento de outros sintomas". Além disso, conheço uma mulher que tem lúpus e ela me falou que na infância sentia dores relacionadas com o crescimento. Ela só descobriu o lúpus aos 17 anos, devido ao surgimento de erupções cultâneas no rosto.

Referências
http://www.medicinanet.com.br/m/conteudos/revisoes/65/lupus_eritematoso_sistemico.htm
http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0365-05962011000700023&lang=pt
http://cidmed.com.br/pdf/lupus.pdf
http://www.moreirajr.com.br/revistas.asp?id_materia=4087&fase=imprime

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Hélia Cannizzaro



Mensagens : 1065
Data de inscrição : 23/06/2013

MensagemAssunto: Re: Qual o GABARITO? (VI)   Sex Nov 15, 2013 4:53 pm

Aída Carla
Deixei de fazer a observação sobre seu comentário de "dores nas articulações e nos músculos".
Pode ser um pródromo, é característico da doença em progressão, mas não é o pródromo principal.
Hélia Cannizzaro


Aída Carla escreveu:
Questão 19 - Letra B - Erupção Cultânea

O lúpus eritematoso sistêmico é uma doença inflamatória crônica, multissistêmica, de causa desconhecida e de natureza autoimune, caracterizada pela presença de diversos auto-anticorpos. Evolui com manifestações clínicas polimórficas, com períodos de exacerbaçoes e remissões. Vale ressaltar que o desenvolvimento da doença está relacionado à predisposição genética e aos fatores ambientais, como luz ultravioleta e alguns medicamentos.
As suas manifestações clínicas podem aparecer isoladamente, de forma consecutiva ou aditiva. As lesões cutâneas são de grande importância no reconhecimento do LES e, no início da doença, são extremamente freqüentes, correspondendo a aproximadamente 70% dos casos, o que facilita a sua suspeita, além de serem observadas em mais de 90% dos pacientes lúpicos em algum momento da doença. A manifestação cutânea aguda é a mais conhecida no LES e sua forma localizada é descrita como rash malar ou rash em “asa de borboleta”.
Entre as mais diversas manifestações clínicas, pode haver:
- Pleurite, a qual é a manifestação pulmonar mais frequente;
- Fenômeno de Raynoud, que está fortemente associado à presença de anticorpos anti-RNP. Sua frequência e intensidade estão associadas à exposição ao frio.
- Manifestações músculo-esqueléticas, como artralgia e mialgia.
Professora, fiquei muito em dúvida na letra C ( dores nas articulações e nos músculos), pois li que "as manifestações músculo-esqueléticas são freqüentes nas fases iniciais da doença, podendo a artralgia e/ou artrite ser a principal queixa em aproximadamente 75% a 80% no momento do diagnóstico e comprometer até 90% dos pacientes no curso da doença. Os sintomas articulares que se manifestam durante anos podem preceder o aparecimento de outros sintomas". Além disso, conheço uma mulher que tem lúpus e ela me falou que na infância sentia dores relacionadas com o crescimento. Ela só descobriu o lúpus aos 17 anos, devido ao surgimento de erupções cultâneas no rosto.

Referências
http://www.medicinanet.com.br/m/conteudos/revisoes/65/lupus_eritematoso_sistemico.htm
http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0365-05962011000700023&lang=pt
http://cidmed.com.br/pdf/lupus.pdf
http://www.moreirajr.com.br/revistas.asp?id_materia=4087&fase=imprime

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Hélia Cannizzaro



Mensagens : 1065
Data de inscrição : 23/06/2013

MensagemAssunto: Re: Qual o GABARITO? (VI)   Sex Nov 15, 2013 4:55 pm

Mariana Chevrollier
Correto.
Hélia Cannizzaro

mariana.chevrollier escreveu:
Questão 13 - B - Hipocalcemia

De acordo com o critério de Ransom e de Glasgow para a avaliação da gravidade da pancreatite aguda, dentre outras medições, o nível de calcemia é inferior a 2.0 mmol/L ou 8.0 mg/dL. Deve-se comparar os níveis de calcemia na admissão e após 48h. Em casos de agravamento, o cálcio precipita na forma de complexos com ácidos graxos.

Referências:
http://www.spmi.pt/revista/vol06/vol6_n1_1999_43-49.pdf
http://revista.hupe.uerj.br/detalhe_artigo.asp?id=170
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Hélia Cannizzaro



Mensagens : 1065
Data de inscrição : 23/06/2013

MensagemAssunto: Re: Qual o GABARITO? (VI)   Sex Nov 15, 2013 5:08 pm

Mariana Chevrollier
É extremamente elevada a frequência de Pseudomonas aeruginosa em indivíduos usuários de droga IV (intravenosa).
São pacientes normalmente desnutridos, propensos à infecções, e como chegam no hospital, com frequência, tardiamente, as infecções são normalmente crônicas e de difícil resposta terapêutica. A hemocultura (cultura para pesquisa de microrganismos no sangue) é fundamental, nesses casos, para prever a possibilidade de infecção generalizada.
No hospital, normalmente, o tratamento inicial é no combate do agente etiológico e dos sinais vitais. Na possibilidade de alta hospitalar, o Médico atento encaminha para os serviços de recuperação de usuários de droga.
Essa ATENÇÃO à SAÚDE GLOBAL além de buscar prevenir as reincidências, reforça o lembrete de que na pós-Modernidade há uma evidente conexão entre droga - narcotráfico - criminalidade.
Estamos então, como Médicos, neste pertencimento corpo - social.
Hélia Cannizzaro

mariana.chevrollier escreveu:
Questão 5 - letra C

A artrite séptica se caracteriza pela inflamação de uma articulação causada por bactérias, vírus ou fungos. Geralmente a inflamação se dá numa única articulação, mas mais de uma pode ser acometida.
O patógeno causador de artrite séptica mais provável de afetar usuários de drogas do tipo intravenosa, como a heroína, é o pseudomonas. A articulação esternoclavicular é a que possui mais casos relatados. O tratamento inclui drogas como a gentamicina e carbenicilina.

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/15118542
http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/1150704
http://www.medicinenet.com/septic_arthritis/article.htm#what_microbes_cause_septic_arthritis
http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC271426/
http://www.orthobullets.com/trauma/1058/septic-arthritis--adult
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Hélia Cannizzaro



Mensagens : 1065
Data de inscrição : 23/06/2013

MensagemAssunto: Re: Qual o GABARITO? (VI)   Sex Nov 15, 2013 5:10 pm

Ana Raquel Ferraz
Perfeito.
Hélia Cannizzaro

Ana Raquel Ferraz escreveu:
Questão 17- A

O benzodiazepínicos, como a carbamazepina, são bastante usados como ansiolíticos, especialmente durante a gravidez, mas podem causar más formações fetais, como é o caso do mau desenvolvimento do tubo neural. Inúmeras drogas apresentam efeito teratogênico comprovado, entre elas: metotrexato (malformações dos membros e do SNC), inibidores da enzima de conversão de angiotensina (alterações renais), carbamazepina (defeitos do tubo neural), ciclofosfamida (malformações do SNC), danazol (masculinização do feto feminino) etc.

http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0365-05962005000200009&script=sci_arttext&tlng=es
http://www.scielo.br/pdf/rbgo/v30n1/a01v30n1.pdf


Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Hélia Cannizzaro



Mensagens : 1065
Data de inscrição : 23/06/2013

MensagemAssunto: Re: Qual o GABARITO? (VI)   Sex Nov 15, 2013 5:14 pm

Felipe Peixotos
Exato.
Hélia Cannizzaro


felipepeixotos escreveu:
Questão 1, letra C.


Junto à glândula tireóide, existem as glândulas paratireóides, que são responsáveis por produzir PTH, hormõnio regulador de cálcio no sangue. A operação pode causar uma diminuição temporária ou definitiva dessas glândulas, causando hipocalcemia , pode haver uma diminuição temporária ou definitiva da função destas glândulas, levando à queda dos níveis de cálcio no sangue (hipocalcemia). . O paciente pode apresentar sintomas como: formigamentos nas mãos, nos pés, ao redor dos lábios e nas orelhas que podem evoluir para cãimbras. O tratamento consiste em receber grandes doses de cálcio e Vitamina D. Raramente estes sintomas ocorrem em tireoidectomias parciais.

Referências
http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0100-69912004000400004&script=sci_arttext
http://www.hcancerbarretos.com.br/cancer-de-tireoide/139-paciente/tipos-de-cancer/cancer-de-tireoide/228-orientacoes-para-cirurgia-de-tireoide
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: Qual o GABARITO? (VI)   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Qual o GABARITO? (VI)
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 3Ir à página : 1, 2, 3  Seguinte
 Tópicos similares
-
» Qual joystick comprar??
» Qual câmera comprar?
» Qual o melhor antivirus free?
» Qual foi o melhor pouso?
» qual placa de video comprar ATI

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Conhecimento Virtual :: Medicina - Turma 134 - UFPE-
Ir para: