Conhecimento Virtual

Projeto Conhecimento Virtual Profa. Hélia Cannizzaro
 
InícioCalendárioFAQBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

 Células-Tronco

Ir em baixo 
AutorMensagem
Hélia Cannizzaro



Mensagens : 1065
Data de inscrição : 23/06/2013

MensagemAssunto: Células-Tronco   Qua Jul 03, 2013 5:55 pm

Turma 133 - M2 - Curso Médico - UFPE
Todo final de mês adquiro alguns livros atualizados em Livrarias Especializadas em Medicina. Nesta última sexta, adquiri: Células-Tronco Mesenquimais (Carvalho ACC & Goldenberg RCS), Simulação Clínica (Quilici AP, Abrão KC. Timermen S & Gutierrez F) e um livro que comprei para vocês de Interpretação de ECG (Sanches PCR & Moffa PJ).
Sobre o primeiro livro, excelente, faço aqui um resumo do primeiro capítulo, associando meu conhecimento em Imunologia. Todo organismo pluricelular é composto de diferentes tipos de células. Entre cerca de 75 trilhões de células existentes em um homem adulto, por exemplo, são encontrados em torno de 200 tipos de células distintos. Todos derivam de células denominadas "células-tronco". São células que apresentam as seguintes características básicas: são células indiferenciadas, podem dividir-se ilimitadamente, quando se dividem, cada célula-filha formada pode manter-se indiferenciada ou pode tornar-se uma célula especializada. Para realizar essa dupla tarefa (replicação e diferenciação), a célula-tronco pode seguir dois modelos básicos de divisão: o determinístico, na qual a divisão gera sempre uma nova célula tronco e uma diferenciada (estocástico ou aleatório), no qual as células tronco geram somente novas células tronco ou geram apenas células diferenciadas ou ainda uma célula tronco e uma célula diferenciada.
As células totipotentes são as células tronco que podem formar todos os tecidos,incluindo os anexos embrionários. Elas formam-se nas primeiras 72 horas e após a fecundação do óvulo. Neste momento não é possível identificar qualquer diferenciação tecido-específica. As células pluripotentes são células tronco que têm o potencial de se diferenciar em qualquer célula dos três folhetos germinativos: endoderma ( que origina, por exemplo, o trato gastrointestinal e pulmões), mesoderma (que origina, por exemplo, os músculos, ossos, sangue e sistema urogenital), ectoderma (que origina, por exemplo, os tecidos epidermais e tecido nervoso). As células multipotentes possuem uma capacidade de diferenciação limitada, diferenciando-se apenas em linhagens relacionadas com o seu tecido de origem.
Células tronco embrionárias - As células derivadas da massa interna do blastocisto, que podem proliferar indefinidamente e preservar a sua pluripotência, e que mantêm esta característica in vitro - do inglês embryonic stem cells (ES). A partir de 1998, ampliou a medicina regenerativa, e do enfrentamento de barreira éticas e tecnológicas. Porém, barreiras éticas e tecnológicas ainda necessitam ser superadas para a plena aplicação clínica deste tipo celular. O uso clínico das ES oferece riscos, uma vez que tais células, reproduzindo-se descontroladamente, podem levar à formação de tumores. A rejeição imunológica que pode ser desencadeada pelas células diferenciadas originadas a partir das embrionárias (por causa do complexo de histocompatibilidade = MHC) é outro desafio a ser vencido. As células tronco adultas são encontradas em nichos em vários tecidos do organismo adulto, como no cordão umbilical e MO (medula óssea). São células multipotentes, que possuem diferenciação restrita ou dirigida e uma menor capacidade de proliferação, quando comparadas com as embrionárias, o que torna remota a possibilidade de formação de tumores, quando infundidas em pacientes. Principalmente, o uso autólogo (do próprio paciente, minimizando a rejeição imunológica. A terapia celular é uma proposta terapêutica que, por meio de infusão de células, visa agir na regeneração de órgãos e tecidos. Outro uso são as células mononucleares da MO (CMMO) que promovem reparo celular em lugar da regeneração celular. Outra utilização, são as células tronco mesenquimais que podem ser obtidas de diversas fontes e são competentes na medicina regenerativa, entre elas, sua capacidade de imunomodulação (sem rejeição). 45% dos ensaios em Cardiologia utilizam células mesenquimais. No Brasil foram criados oito Centros de Tecnologia Celular (CTCs), em cinco Estados brasileiros (RS, PR, SP, RJ e BA). Os tipos celulares que os CTCs se comprometem a produzir são os seguintes:
1. Células-tronco embrionárias;
2. Células-tronco pluripotentes induzidas;
3. Células-tronco neurais;
4. Células-tronco cardíacas; e
5. Células-Tronco mesenquimais.
O livro trata no segundo capítulo de células-tronco derivadas da MO - que farei um resumo, também, e voltarei ao Fórum. A leitura deste livro, bem atualizado, é fundamental.
Hélia Cannizzaro




Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
 
Células-Tronco
Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Conhecimento Virtual :: Medicina - Turma 133 - UFPE :: CV propriamente dito-
Ir para: