Conhecimento Virtual

Projeto Conhecimento Virtual Profa. Hélia Cannizzaro
 
InícioCalendárioFAQBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

 Qual o Gabarito (II)?

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
Ir à página : 1, 2  Seguinte
AutorMensagem
Hélia Cannizzaro



Mensagens : 1065
Data de inscrição : 23/06/2013

MensagemAssunto: Qual o Gabarito (II)?   Dom Out 05, 2014 4:00 am

1. A pontuação na Escala de Coma de Glasgow de um paciente apresentando ausência de resposta verbal, abertura ocular, e resposta motora aos estímulos é:
A. 0;
B. 1;
C. 2;
D. 3;
E. 4.
2. É verdadeiro sobre a administração do bicarbonato de sódio na reanimação cardiopulmonar:
A. Pode ser efetuada através do tubo endotraqueal;
B. Está indicada em pacientes apresentando hipercalemia;
C. Leva à diminuição dos níveis séricos (do sangue) do CO2;
D. É uma forma mais eficaz de combater a acidose na parada cardíaca.
3. A alteração eletrocardiográfica mais precoce da hipercalemia (potássio entre 5,6 e 6,0 mEq / L é:
A. Onda T apiculada;
B. Prolongamento do PR;
C. Achatamento da onda P;
D. Complexo QRS sinusoidal;
E. Desaparecimento da onda P.
4. Alcoólico de 50 anos de idade apresenta: tosse produtiva (=com secreção), febre alta com calafrios, dispneia (=falta de ar) e dor pleurítica. A radiografia de tórax mostra consolidação em lobo superior direito (opacidade = perda da radiotransparência), necrose pulmonar e derrame pleural. O escarro é gelatinoso, espesso e de coloração castanha, mostrando numerosos leucócitos e bacilos Gram-negativos, curtos e aos pares. O exame do líquido pleural é diagnóstico de empiema (=pus). Este quadro clínico e laboratorial sugere pneumonia causada por:
A. Streptococcus pneumoniae;
B. Mycoplasma pneumoniae;
C. Staphylococcus aureus;
D. Klebsiella pneumoniae;
E. Vírus da Influenza.
5. O tratamento medicamentoso de paciente com IAM apresentando: dificuldade respiratória, ritmo sinusal com frequência cardíaca de 120/min, estertoração (ruído pulmonar) bolhosa bilateralmente até ápices, e pressão arterial de 75/50 mmHg deve ser iniciado com a administração IV (=intravenosa) de:
A. Nitroprussiato de sódio em infusão contínua;
B. Sulfato de morfina em injeção lenta;
C. Nitroglicerina em infusão contínua;
D. Dopamina em infusão contínua;
E. Furosemida (=diurético).
6. Na parada cardíaca causada pela fibrilação ventricular, a intervenção terapêutica (=tratamento) mais importante é a:
A. Administração IV de lidocaína;
B. Compressão torácica externa;
C. Abertura de vias aéreas;
D. Ventilação pulmonar;
E. Desfibrilação.
7. Dos componentes e derivados do sangue aquele que está isento do risco de transmissão de doenças virais é:
A. Concentração de hemácias (=concentrado de hemácias);
B. Crioprecipitado (=de plaquetas);
C. Plasma fresco;
D. Sangue total;
E. Albumina.
8. Ao avaliar o traumatizado devemos presumir que até prova em contrário o estado de choque é causado por:
A. Perda de fluido;
B. Obstrução ao retorno venoso;
C. Falência cardíaca;
D. Vasodilatação;
E. Hemorragia.
9. O marcador cujos níveis séricos se elevam mais precocemente no IAM é a (o):
A. Mioglobina;
B. Troponina I;
C. Creatinofosfoquinase total (CPK);
D. LDH (lactato desidrogenease).
10. Distúrbio ácido-básico indicado pelos resultados desta gasometria arterial: pH=7,29; PO2 = 98 mmHg; PCO2 = 32 mmHg; bicarbonato = 16 mEq/L:
A. Acidose metabólica;
B. Alcalose metabólica;
C. Acidose respiratória;
D. Alcalose respiratória;
E. Acidose mista.
11. As taquiarritmias supraventriculares persistentes sem instabilidade hemodinâmica causadas pela overdose de cocaína devem ser tratadas inicialmente com a administração IV de:
A. Digoxina;
B. Lidocaína;
C. Adenosina;
D. Beta-bloqueador;
E. Benzodiazepínicos.
12. Após sofrer traumatismo, um adulto apresenta confusão mental, taquipneia de 35 incursões respiratórias / minuto, taquicardia de 120 bpm (=batimentos por minuto), hipotensão arterial e diminuição do volume urinário (menos de 1 L / 24 horas). Com base nestes dados podemos presumir que o percentual de volemia (=volume sanguíneo) perdido foi no mínimo de:
A. 10%;
B. 20%;
C. 30%;
D. 40%;
E. 50%.
13. O tratamento de escolha para um paciente com IAM, apresentando fibrilação atrial aguda com resposta ventricular de 160 bpm (=batimentos por minuto), associada a choque, é a:
A. Manobra vagal;
B. Desfibrilação com 200 J;
C. Cardioversão elétrica com 100 J;
D. Administração venosa de verapamil;
E. Procainamida em infusão venosa contínua.
14. Qual o parasita intestinal mais comum no Brasil?
A. Giardia lamblia;
B. Strongiloides stercolaris;
C. Ascaris lumbricoides;
D. Necator americanus.
15. Qual das drogas abaixo, usadas no tratamento da tuberculose, é causa de neurite óptica?
A. Rifampicina;
B. Isoniazida;
C. Pirazinamida;
D. Etambutol;
E. Estreptomicina.
16. Uma concentração de glicose inferior a 35 mg/dL no líquido pleural é compatível com:
A. Pancreatite;
B. ICC (=insuficiência cardíaca congestiva);
C. Tuberculose;
D. Cirrose hepática;
E. Infarto pulmonar.
17. Qual a lesão cerebral mais comum que ocupa espaço no paciente HIV-positivo?
A. Linfoma;
B. Tuberculose;
C. Toxoplasmose;
D. Citomegalovirose;
E. Histoplasmose.
18. Anemia hipocrômica microcítica pode ser encontrada em:
A. Deficiência de ácido fólico;
B. Anemia ferropriva;
C. Anemia falciforme;
D. Deficiência de B12.
19. A associação de corticoides aos tuberculostáticos (=tratamento específico da tuberculose) é obrigatória na fase inicial da tuberculose:
A. Pleural;
B. Peritoneal;
C. Pericárdica;
D. Meníngea;
20. Qual das infecções hospitalares abaixo é responsável por maior mortalidade?
A. Ferida cirúrgica;
B. Infecção urinária;
C. Pneumonias;
D. Sinusite.



Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
victor.lemos5



Mensagens : 5
Data de inscrição : 30/09/2014

MensagemAssunto: Re: Qual o Gabarito (II)?   Dom Out 05, 2014 1:34 pm

Bom dia! Tentarei responder a primeira questão.
Creio que a resposta seja letra D. A escala de Glasgow confere "pontos" dependendo das reações do paciente a estímulos (de 1 a 4 para respostas oculares, de 1 a 5 para verbais e de 1 a 6 para motoras), que são por fim somados para avaliar o paciente, e, quanto menor a pontuação, mais grave é seu estado. A menor pontuação possível é 3, logo as alternativa A, B e C não são corretas, e esse paciente marca 1 em cada um dos quesitos,tendo logo a mais baixa pontuação (3).

http://538refugees.wordpress.com/2011/03/16/rep-gabrielle-giffords-lessons-about-traumatic-brain-injury/
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Vitor Hugo Vasconcelos St



Mensagens : 2
Data de inscrição : 25/09/2014

MensagemAssunto: Re: Qual o Gabarito (II)?   Dom Out 05, 2014 7:47 pm

Olá professora, tentarei responder a 2ª pergunta;

Pelo que eu pesquisei a resposta seria a letra B.

Em 1962, o bicarbonato de sódio começou a ser utilizado como uma forma de tratamento da parada cardiorrespiratória, mas pesquisas recentes mostrar que ele em não produz o efeito desejado e acaba prejudicando, em alguns casos. Porém, o uso de bicarbonato ainda é indicado para pacientes que apresentam hipercalemia.

Fonte: http://publicacoes.cardiol.br/abc/1999/7203/72030009.pdf

Gostaria de saber se está certo? Como é que o bicarbonato reverte esse quadro?

Obrigado pela atenção!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
lucasalves14



Mensagens : 1
Data de inscrição : 05/10/2014

MensagemAssunto: Re: Qual o Gabarito (II)?   Dom Out 05, 2014 8:53 pm

Boa tarde professora, eu pesquisei acerca da terceira questão e acho que a reposta é a letra A. A alteração precoce no ECG nesse caso de hipercalemia, se da na onda T (q registra a repolarização ventricular), que se torna apiciulada.
    Posteriormente ainda pode ser observado:
-Prolongamento do intervalo PR com níveis variados de bloqueios àtrio-ventriculares;
-Alargamento do QRS com uma variedade de distúrbios da condução (incluindo bloqueio de ramo direito, bloqueio do ramo esquerdo, bloqueio bifascicular);
-A onda P pode desaparecer como resultado da contratilidade atrial ausente, no entanto, a atividade nó sinusal pode persistir sem resultar na ativação atrial;
-A QRS se alarga mais, devido a um atraso na  grave condução ventricular e pode se tornar “onda senoidal”

Fonte: http://ecgepm.com/2011/12/28/ecg-e-hipercalemia-principais-alteracoes-eletrocardiograficas/

Obrigado pela atenção!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
RafaelMoreno



Mensagens : 2
Data de inscrição : 01/10/2014

MensagemAssunto: Re: Qual o Gabarito (II)?   Dom Out 05, 2014 9:30 pm

Boa noite professora,
Tentarei discutir um pouco acerca da 6ª questão.

Creio eu que o gabarito seja a letra 'E'. É importante destacar, nessa questão, que a fibrilação ventricular é um dos principais (senão o principal fator) de paradas cardíacas, levando a mortes súbitas. O procedimento mais indicado seria a utilização do desfibrilador, caso haja um desses nas proximidades. Acredita-se que a desfibrilação salve cerca de 6 vezes mais vidas que o tratamento trombolítico. Porém, tal estimativa depende fundamentalmente do intervalo de tempo entre a fibrilação e a aplicação do desfibrilador (tal intervalo deve ser o menor possível).

Para responder esta questão, me utilizei de algumas fontes as quais citarei abaixo:
http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0066-782X2009001400001
http://www.einstein.br/einstein-saude/doencas/Paginas/tudo-sobre-arritmias.aspx
http://portaldocoracao.uol.com.br/doencas-de-a-a-z/fibrilaco-ventricular

Creio que a discussão acerca do assunto abordado acima é bastante rica, principalmente para o estudo de medidas terapêuticas de emergência.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
samantha.dutra



Mensagens : 2
Data de inscrição : 01/10/2014

MensagemAssunto: Re: Qual o Gabarito (II)?   Dom Out 05, 2014 10:10 pm

Boa noite, pesquisei sobre a questão 18 e acredito que a resposta seria a letra B.

A anemia hipocrômica microcítica ocorre por falta de produção de hemoglobina por alguns fatores. Um possível fator seria a anemia ferropriva que é quando o organismo não possui ferro suficiente, dessa forma terá como consequência uma menor produção de glóbulos vermelhos, ou glóbulos vermelhos menores. Visto que a hemoglobina se relaciona diretamente com os glóbulos vermelhos, a anemia ferropriva poderia ser encontrada na anemia hipocrômica microcítica.

Fontes:
http://www.redalyc.org/pdf/2432/243218257002.pdf
http://www.minhavida.com.br/saude/temas/anemia-ferropriva
http://hematologia-iesa.blogspot.com.br/2012/03/anemias-microciticas-e-hipocromicas.html
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Rapha.Albuquerque



Mensagens : 2
Data de inscrição : 06/10/2014

MensagemAssunto: Re: Qual o Gabarito (II)?   Seg Out 06, 2014 3:22 am

Boa noite pessoal,
a respeito da questão 15, pelo que eu pesquisei a Neurite óptica pode ser uma reação adversa ao uso dos medicamentos ISONIAZIDA e ETAMBUTOL.  Achei um trecho num site que diz o seguinte:
            "A neurite ótica se manifesta com redução do campo visual ou redução da acuidade ou da visão de cores; é incomum durante o uso da isoniazida e está relacionada ao etambutol, em geral em doses altas ou por uso prolongado."

Então mesmo que a  Neurite óptica aconteça de forma incomum com o uso da Isoniazida, esta droga deve ser levada em consideração. Sendo assim o Gabarito B e D. O que vcs acham?

Fontes: http://www.medicinanet.com.br/conteudos/biblioteca/4047/6_reacoes_adversas_ao_uso_de_drogas_antituberculose.htm

http://www.saude.rs.gov.br/upload/1339785649_Cartaz%20de%20mesa%20-%20Refer%C3%AAncias.pdf
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
milenaaraujo



Mensagens : 3
Data de inscrição : 27/09/2014

MensagemAssunto: Re: Qual o Gabarito (II)?   Seg Out 06, 2014 3:28 am

Professora, tentei responder a quarta questão. Creio que tal pneumonia foi causada por Klebsiella pneumoniae (LETRA D), pois esta é uma bacteria Gram negativa e é um agente que está bastante associado à pneumonia em alcoólatras. Além disso, tal bactéria desencadeia um quadro clínico em que há prevalência do comprometimento do lobo superior, que provoca abaulamento da cisura, sendo conhecida como “pneumonia do lobo pesado”. Gostaria de saber se minha resposta está correta. Grata desde já!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Igor Macedo de Oliveira



Mensagens : 2
Data de inscrição : 01/10/2014

MensagemAssunto: Re: Qual o Gabarito (II)?   Seg Out 06, 2014 4:33 am

Olá professora, tentarei responder à 20ª questão: A resposta seria a letra C, principalmente porque os principais causadores de infeccções hospitalares são as bactérias, mais especificamente das espécies Staphylococcus aureus (Gram positiva), Klebsiella pneumoniae (Gram negativa). Elas são capazes de migrar para os pulmões e causar os sintomas de pneumonia, que leva muitas pessoas a óbito.

Fontes:

1)http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0080-62342002000200011
2)http://pt.slideshare.net/TCC_FARMACIA_FEF/tcc-infeces-hospitalares-15740709
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
gabrielapimentelc



Mensagens : 2
Data de inscrição : 28/09/2014
Idade : 20

MensagemAssunto: Re: Qual o Gabarito (II)?   Seg Out 06, 2014 5:39 am

Boa noite! Tentei responder a questão 7 e achei algumas informações interessantes, então farei algumas considerações baseadas no que compreendi do assunto.
A transmissão viral a partir de alguns hemoderivados e do próprio sangue é possível, portanto alguns cuidados devem ser tomados ao realizar transfusões sanguíneas e procedimentos afins.
A albumina é extraída do sangue junto com o plasma sanguíneo, e esse plasma pode conter vírus em seu conteúdo, então se essas partes do sangue não tiverem o tratamento devido ao fazer a transfusão pode haver contaminação. Esse fato já eliminaria as possibilidades da resposta ser letra D, C e E. A questão, no entanto, é que a extração da albumina é feita de maneira a reduzir drasticamente o risco de contaminação por contato com vírus plasmáticos. Segundo as fontes em quais pesquisei seria essa realmente a transfusão mais segura, o que tornaria a resposta correta a letra E. Como algumas fontes foram bastante inespecíficas quanto à transmissão por meio do concentrado de hemácias, principalmente, peço que opinem quanto ao assunto discutido nesse tópico.

fontes pesquisadas:
http://www.sbp.com.br/pdfs/Gui_para_uso_Hemocomponentes_2009.pdf
http://www.hog.org/handbook/esp/section/3/cryoprecipitate-and-other-blood-products
http://www.latinoamerica.baxter.com/brasil/images/br/pdf/albumina_serica.pdf
http://www.medicinanet.com.br/m/conteudos/acp-medicine/5283/medicina_transfusional_%E2%80%93_harvey_g_klein.htm
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://antologiadesonhos.tumblr.com
Ivan Paulo

avatar

Mensagens : 3
Data de inscrição : 24/09/2014
Idade : 36

MensagemAssunto: Re: Qual o Gabarito (II)?   Seg Out 06, 2014 8:15 pm

Boa tarde, acho que a Q9 é a letra B.

As troponinas formam um complexo que regula a interação cálcio-dependente da miosina com a actina. São constituídas de três diferentes proteínas (troponina I, C e T) existentes tanto no músculo esquelético quanto cardíaco e codificadas por diferentes genes. A troponina C é idêntica tanto no músculo esquelético como cardíaco, mas os genes codificadores das troponinas I e T, cardíaca e esquelética, são diferentes, o que permite a diferenciação e facilitando o diagnóstico do IAM

Em pacientes com IAM, a elevação da atividade da creatino-fosfoquinase acima dos valores normais é raramente encontrada de 4 a 6h após o início da dor, fazendo com que o diagnóstico precoce tenha que depender fortemente de alterações eletrocardiográficas típicas. Isto torna-se um problema pelo fato de que o eletrocardiograma (ECG) é inconclusivo em até 40% dos pacientes.

A troponina I cardíaca é altamente específica para o tecido miocárdico, não é detectável no sangue de pessoas sadias, mostra um aumento proporcionalmente bem maior acima dos valores limite, nos casos de IAM e pode permanecer elevada por sete a 10 dias após o episódio agudo.

<http://www.scielo.br/scielo.php?pid=s0066-782x1998001000013&script=sci_arttext>
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Hélia Cannizzaro



Mensagens : 1065
Data de inscrição : 23/06/2013

MensagemAssunto: Re: Qual o Gabarito (II)?   Seg Out 06, 2014 8:28 pm

Victor Lemos
Através desses sinais, você utilizará muito esta Escala de Glasgow, na UTI, como sinalizador para recuperação ou
agravamento do quadro clínico.
Certíssimo!

victor.lemos5 escreveu:
Bom dia! Tentarei responder a primeira questão.
Creio que a resposta seja letra D. A escala de Glasgow confere "pontos" dependendo das reações do paciente a estímulos (de 1 a 4 para respostas oculares, de 1 a 5 para verbais e de 1 a 6 para motoras), que são por fim somados para avaliar o paciente, e, quanto menor a pontuação, mais grave é seu estado. A menor pontuação possível é 3, logo as alternativa A, B e C não são corretas, e esse paciente marca 1 em cada um dos quesitos,tendo logo a mais baixa pontuação (3).

http://538refugees.wordpress.com/2011/03/16/rep-gabrielle-giffords-lessons-about-traumatic-brain-injury/
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Hélia Cannizzaro



Mensagens : 1065
Data de inscrição : 23/06/2013

MensagemAssunto: Re: Qual o Gabarito (II)?   Seg Out 06, 2014 8:34 pm

Vitor Hugo
Está correto.
E, eu retorno a pergunta para você: Como é que o bicarbonato reverte esse quadro?.
Lembro, que o bicarbonato associado aos íons H+ gera CO2 em grandes volumes,
o que complica a ventilação, já não adequada nesses pacientes.


Vitor Hugo Vasconcelos St escreveu:
Olá professora, tentarei responder a 2ª pergunta;

Pelo que eu pesquisei a resposta seria a letra B.

Em 1962, o bicarbonato de sódio começou a ser utilizado como uma forma de tratamento da parada cardiorrespiratória, mas pesquisas recentes mostrar que ele em não produz o efeito desejado e acaba prejudicando, em alguns casos. Porém, o uso de bicarbonato ainda é indicado para pacientes que apresentam hipercalemia.

Fonte: http://publicacoes.cardiol.br/abc/1999/7203/72030009.pdf

Gostaria de saber se está certo? Como é que o bicarbonato reverte esse quadro?

Obrigado pela atenção!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Hélia Cannizzaro



Mensagens : 1065
Data de inscrição : 23/06/2013

MensagemAssunto: Re: Qual o Gabarito (II)?   Seg Out 06, 2014 8:39 pm

Lucas Alves
Você não teria interesse, desde já, de começar a estudar o ECG?
Está correta sua resposta, mas vendo o ECG se amadurece os conceitos.
Nada grave, nada periculoso, ou impossível de treinar desde já - para entrar no HC
sabendo, no internato sabendo mais, na RM sabendo muito mais e como Médico
sabendo em definitivo.
São ondas e derivações, aprendidas, primeiro normais, e depois de traçados em diferentes patologias.
Sua resposta está certa.

lucasalves14 escreveu:
    Boa tarde professora, eu pesquisei acerca da terceira questão e acho que a reposta é a letra A. A alteração precoce no ECG nesse caso de hipercalemia, se da na onda T (q registra a repolarização ventricular), que se torna apiciulada.
    Posteriormente ainda pode ser observado:
-Prolongamento do intervalo PR com níveis variados de bloqueios àtrio-ventriculares;
-Alargamento do QRS com uma variedade de distúrbios da condução (incluindo bloqueio de ramo direito, bloqueio do ramo esquerdo, bloqueio bifascicular);
-A onda P pode desaparecer como resultado da contratilidade atrial ausente, no entanto, a atividade nó sinusal pode persistir sem resultar na ativação atrial;
-A QRS se alarga mais, devido a um atraso na  grave condução ventricular e pode se tornar “onda senoidal”

Fonte: http://ecgepm.com/2011/12/28/ecg-e-hipercalemia-principais-alteracoes-eletrocardiograficas/

Obrigado pela atenção!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Hélia Cannizzaro



Mensagens : 1065
Data de inscrição : 23/06/2013

MensagemAssunto: Re: Qual o Gabarito (II)?   Seg Out 06, 2014 8:42 pm

Rafael Moreno
Desfibrilação. Correto.
Há interesse em ver um traçado, no ECG, de um paciente fibrilando?
Após, reconhecer o traçado normal?

RafaelMoreno escreveu:
Boa noite professora,
Tentarei discutir um pouco acerca da 6ª questão.

Creio eu que o gabarito seja a letra 'E'. É importante destacar, nessa questão, que a fibrilação ventricular é um dos principais (senão o principal fator) de paradas cardíacas, levando a mortes súbitas. O procedimento mais indicado seria a utilização do desfibrilador, caso haja um desses nas proximidades. Acredita-se que a desfibrilação salve cerca de 6 vezes mais vidas que o tratamento trombolítico. Porém, tal estimativa depende fundamentalmente do intervalo de tempo entre a fibrilação e a aplicação do desfibrilador (tal intervalo deve ser o menor possível).

Para responder esta questão, me utilizei de algumas fontes as quais citarei abaixo:
http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0066-782X2009001400001
http://www.einstein.br/einstein-saude/doencas/Paginas/tudo-sobre-arritmias.aspx
http://portaldocoracao.uol.com.br/doencas-de-a-a-z/fibrilaco-ventricular

Creio que a discussão acerca do assunto abordado acima é bastante rica, principalmente para o estudo de medidas terapêuticas de emergência.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Hélia Cannizzaro



Mensagens : 1065
Data de inscrição : 23/06/2013

MensagemAssunto: Re: Qual o Gabarito (II)?   Seg Out 06, 2014 8:45 pm

Samantha Dutra
Lembrando, que esta observação é vista no esfregaço do sangue, com lâmina, e o laudo
no Hemograma é apresentado no final (=Aspecto Citomorfológico).
Correto.

samantha.dutra escreveu:
Boa noite, pesquisei sobre a questão 18 e acredito que a resposta seria a letra B.

A anemia hipocrômica microcítica ocorre por falta de produção de hemoglobina por alguns fatores. Um possível fator seria a anemia ferropriva que é quando o organismo não possui ferro suficiente, dessa forma terá como consequência uma menor produção de glóbulos vermelhos, ou glóbulos vermelhos menores. Visto que a hemoglobina se relaciona diretamente com os glóbulos vermelhos, a anemia ferropriva poderia ser encontrada na anemia hipocrômica microcítica.

Fontes:
http://www.redalyc.org/pdf/2432/243218257002.pdf
http://www.minhavida.com.br/saude/temas/anemia-ferropriva
http://hematologia-iesa.blogspot.com.br/2012/03/anemias-microciticas-e-hipocromicas.html
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Hélia Cannizzaro



Mensagens : 1065
Data de inscrição : 23/06/2013

MensagemAssunto: Re: Qual o Gabarito (II)?   Seg Out 06, 2014 8:51 pm

Rapha Albuquerque
A resposta é Etambutol, principalmente no uso prolongado que a patologia exige.
Infrequente, a ocorrência, com isoniazida.
Qual o medicamento mais antigo: etambutol ou isoniazida?
No tratamento, pela OMS, o etambutol se soma à isoniazida (no coquetel), ou se substituem?
Parabéns, por sua pesquisa.

Rapha.Albuquerque escreveu:
Boa noite pessoal,
a respeito da questão 15, pelo que eu pesquisei a Neurite óptica pode ser uma reação adversa ao uso dos medicamentos ISONIAZIDA e ETAMBUTOL.  Achei um trecho num site que diz o seguinte:
            "A neurite ótica se manifesta com redução do campo visual ou redução da acuidade ou da visão de cores; é incomum durante o uso da isoniazida e está relacionada ao etambutol, em geral em doses altas ou por uso prolongado."

Então mesmo que a  Neurite óptica aconteça de forma incomum com o uso da Isoniazida, esta droga deve ser levada em consideração. Sendo assim o Gabarito B e D. O que vcs acham?

Fontes: http://www.medicinanet.com.br/conteudos/biblioteca/4047/6_reacoes_adversas_ao_uso_de_drogas_antituberculose.htm

http://www.saude.rs.gov.br/upload/1339785649_Cartaz%20de%20mesa%20-%20Refer%C3%AAncias.pdf
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Hélia Cannizzaro



Mensagens : 1065
Data de inscrição : 23/06/2013

MensagemAssunto: Re: Qual o Gabarito (II)?   Seg Out 06, 2014 8:58 pm

Certíssimo, Milena Araújo
Este fato é tão importante, que alerta ao Médico atento e capaz da 'probabilidade" de um agente etiológico, específico, em pacientes alcoólatras.
Mister, considerar, principalmente nas urgências, em serviços médicos menos desprovidos de recursos gerais,
e em cidades/Municípios menos aptas desses recursos.

milenaaraujo escreveu:
Professora, tentei responder a quarta questão. Creio que tal pneumonia foi causada por Klebsiella pneumoniae (LETRA D), pois esta é uma bacteria Gram negativa e é um agente que está bastante associado à pneumonia em alcoólatras. Além disso, tal bactéria desencadeia um quadro clínico em que há prevalência do comprometimento do lobo superior, que provoca abaulamento da cisura, sendo conhecida como “pneumonia do lobo pesado”. Gostaria de saber se minha resposta está correta. Grata desde já!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Hélia Cannizzaro



Mensagens : 1065
Data de inscrição : 23/06/2013

MensagemAssunto: Re: Qual o Gabarito (II)?   Seg Out 06, 2014 9:00 pm

Ok, Igor Macedo de Oliveira
Igor Macedo de Oliveira escreveu:
Olá professora, tentarei responder à 20ª questão: A resposta seria a letra C, principalmente porque os principais causadores de infeccções hospitalares são as bactérias, mais especificamente das espécies Staphylococcus aureus (Gram positiva), Klebsiella pneumoniae (Gram negativa). Elas são capazes de migrar para os pulmões e causar os sintomas de pneumonia, que leva muitas pessoas a óbito.

Fontes:

1)http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0080-62342002000200011
2)http://pt.slideshare.net/TCC_FARMACIA_FEF/tcc-infeces-hospitalares-15740709
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Hélia Cannizzaro



Mensagens : 1065
Data de inscrição : 23/06/2013

MensagemAssunto: Re: Qual o Gabarito (II)?   Seg Out 06, 2014 9:03 pm

Gabriela Pimentel. Albumina.
Todos os demais levam risco de contaminação: papa (concentrado) de hemácias, crioprecipitados
para hemofílicos, sangue total, etc.
Boa contribuição.

gabrielapimentelc escreveu:
Boa noite! Tentei responder a questão 7 e achei algumas informações interessantes, então farei algumas considerações baseadas no que compreendi do assunto.
A transmissão viral a partir de alguns hemoderivados e do próprio sangue é possível, portanto alguns cuidados devem ser tomados ao realizar transfusões sanguíneas e procedimentos afins.
A albumina é extraída do sangue junto com o plasma sanguíneo, e esse plasma pode conter vírus em seu conteúdo, então se essas partes do sangue não tiverem o tratamento devido ao fazer a transfusão pode haver contaminação. Esse fato já eliminaria as possibilidades da resposta ser letra D, C e E. A questão, no entanto, é que a extração da albumina é feita de maneira a reduzir drasticamente o risco de contaminação por contato com vírus plasmáticos. Segundo as fontes em quais pesquisei seria essa realmente a transfusão mais segura, o que tornaria a resposta correta a letra E. Como algumas fontes foram bastante inespecíficas quanto à transmissão por meio do concentrado de hemácias, principalmente, peço que opinem quanto ao assunto discutido nesse tópico.

fontes pesquisadas:
http://www.sbp.com.br/pdfs/Gui_para_uso_Hemocomponentes_2009.pdf
http://www.hog.org/handbook/esp/section/3/cryoprecipitate-and-other-blood-products
http://www.latinoamerica.baxter.com/brasil/images/br/pdf/albumina_serica.pdf
http://www.medicinanet.com.br/m/conteudos/acp-medicine/5283/medicina_transfusional_%E2%80%93_harvey_g_klein.htm
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Hélia Cannizzaro



Mensagens : 1065
Data de inscrição : 23/06/2013

MensagemAssunto: Re: Qual o Gabarito (II)?   Seg Out 06, 2014 9:05 pm

Ivan Paulo
MAIS PRECOCEMENTE (e que cai mais rapidamente): Mioglobina.


Ivan Paulo escreveu:
Boa tarde, acho que a Q9 é a letra B.

As troponinas formam um complexo que regula a interação cálcio-dependente da miosina com a actina. São constituídas de três diferentes proteínas (troponina I, C e T) existentes tanto no músculo esquelético quanto cardíaco e codificadas por diferentes genes. A troponina C é idêntica tanto no músculo esquelético como cardíaco, mas os genes codificadores das troponinas I e T, cardíaca e esquelética, são diferentes, o que permite a diferenciação e facilitando o diagnóstico do IAM

Em pacientes com IAM, a elevação da atividade da creatino-fosfoquinase acima dos valores normais é raramente encontrada de 4 a 6h após o início da dor, fazendo com que o diagnóstico precoce tenha que depender fortemente de alterações eletrocardiográficas típicas. Isto torna-se um problema pelo fato de que o eletrocardiograma (ECG) é inconclusivo em até 40% dos pacientes.

A troponina I cardíaca é altamente específica para o tecido miocárdico, não é detectável no sangue de pessoas sadias, mostra um aumento proporcionalmente bem maior acima dos valores limite, nos casos de IAM e pode permanecer elevada por sete a 10 dias após o episódio agudo.

<http://www.scielo.br/scielo.php?pid=s0066-782x1998001000013&script=sci_arttext>
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
carolconstantino



Mensagens : 2
Data de inscrição : 01/10/2014

MensagemAssunto: Re: Qual o Gabarito (II)?   Seg Out 06, 2014 9:19 pm

Boa Noite,

Com relação à questão 15, pelo que pesquisei, a droga seria Etambutol (letra D), mas não consegui entender a relação entre a droga e a neurite.

Obrigada.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Hélia Cannizzaro



Mensagens : 1065
Data de inscrição : 23/06/2013

MensagemAssunto: Re: Qual o Gabarito (II)?   Seg Out 06, 2014 9:25 pm

Carol Constantino
Sugiro que pesquise mais. Qual a relação?

carolconstantino escreveu:
Boa Noite,

Com relação à questão 15, pelo que pesquisei, a droga seria Etambutol (letra D), mas não consegui entender a relação entre a droga e a neurite.

Obrigada.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Gisele Mariel



Mensagens : 6
Data de inscrição : 30/09/2014

MensagemAssunto: Re: Qual o Gabarito (II)?   Ter Out 07, 2014 12:53 am

Boa noite! Segundo o que pesquisei acerca da questão 17, a toxoplasmose é a lesão neurológica mais comum em pacientes HIV-positivo. A resposta, então, seria letra C. Professora, caso não haja problema, gostaria de maiores esclarecimentos sobre o "caminho" que leva alguém HIV-positivo a uma lesão neurologica. Desde já, obrigada.
Fonte: http://www.aids.gov.br/pcdt/16
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
getulioqueiroz



Mensagens : 2
Data de inscrição : 07/10/2014

MensagemAssunto: Re: Qual o Gabarito (II)?   Ter Out 07, 2014 2:11 am

Olá professora, boa noite. Tentarei responder a questão de número 11.

De acordo com minhas pesquisas, acho que  a alternativa mais coerente seria a adoção, inicialmente, de beta-bloqueadores, e posteriormente, o uso da adenosina.
fico com a letra D.

http://www.fotosantesedepois.com/taquicardia-supraventricular-paroxistica/#Tratamento_da_taquicardia_paroxstica_supraventricular
http://www.anm.org.br/img/Arquivos/Aulas%20Curso%20Capacita%C3%A7%C3%A3o%20em%20Urg%C3%AAncia%20e%20Emerg%C3%AAncias/Quinta/Arritmias%20Comuns.pdf
http://files.bvs.br/upload/S/1679-1010/2012/v10n6/a3186.pdf
http://www.bibliomed.com.br/bibliomed/books/livro11/cap/cap05.htm
http://www.saudedireta.com.br/docsupload/1340062637arritmias.pdf
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: Qual o Gabarito (II)?   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Qual o Gabarito (II)?
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 2Ir à página : 1, 2  Seguinte
 Tópicos similares
-
» Qual joystick comprar??
» Qual câmera comprar?
» Qual o melhor antivirus free?
» Qual foi o melhor pouso?
» qual placa de video comprar ATI

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Conhecimento Virtual :: Medicina - Turma 136 - UFPE :: CV propriamente dito-
Ir para: